Alemanha impõe restrições à vacina da AstraZeneca a menores de 60 anos

·2 minuto de leitura

A Alemanha vai reservar a vacina da AstraZeneca contra a covid-19 às pessoas maiores de 60 anos depois de vários casos de formação de coágulos sanguíneos, anunciaram nesta terça-feira (30) os Ministérios da Saúde regionais e federal.

No entanto, os menores de 60 anos que quiserem poderão decidir tomar a vacina, mas só depois de "consultar um médico que pratique a vacinação (...) e uma análise personalizada dos riscos", destacaram os ministros das 16 regiões alemãs e o ministro federal, em um comunicado ao fim da reunião.

Os menores de 60 anos que já receberam a primeira dose dessa vacina poderão decidir: se vacinar com a segunda dose ou aguardar a recomendação da comissão de vacinação (STIKO) sobre o assunto, que em princípio chegará no final de abril.

Na noite desta terça-feira, durante uma coletiva de imprensa, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, revelou que os especialistas detectaram nas últimas semanas "casos muito incomuns, mas muito sérios de coágulos sanguíneos" em pessoas que foram vacinadas com o produto da AstraZeneca.

"Estes são resultados que a comissão de vacinação alemã e nós não podemos ignorar", continuou.

A STIKO havia anunciado anteriormente sua decisão de "recomendar a vacina AstraZeneca apenas para pessoas com mais de 60 anos de idade".

A decisão se baseia "nos dados disponíveis que mostram o aparecimento incomum, mas muito grave, de trombos como efeito colateral", que afetam "principalmente pessoas com menos de 60 anos entre 4 e 16 dias após a vacinação", disse ele.

No entanto, o ministro da Saúde, Jens Spahn, disse na mesma entrevista coletiva que a Alemanha cumprirá sua meta de oferecer a possibilidade de vacinar-se a todos os adultos até o final do verão "se as entregas anunciadas pelos laboratórios forem respeitadas e as vacinas esperadas, autorizadas".

No início desta terça-feira, as cidades alemãs de Berlim e Munique anunciaram a suspensão da inoculação da vacina AstraZeneca para menores de 60 anos, "por precaução", enquanto se aguarda as recomendações do governo.

Vários países suspenderam o uso, total ou parcial, dessa vacina após a detecção de casos graves de coágulos sanguíneos.

O Instituto Médico Paul-Ehrlich, que assessora o governo sobre vacinas, está examinando 31 casos de coágulos sanguíneos em pessoas vacinadas com o imunizante AstraZeneca na Alemanha, informou a revista Spiegel nesta terça-feira.

Quase todos os casos envolvem mulheres jovens ou de meia-idade.

Seguindo as recomendações da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), a Alemanha retomou o uso da vacina em todas as faixas etárias em meados de março.

ilp/smk/cls/mis/mb/mvv/jc/am