Alemanha vai encerrar buscas por 1,2 milhão de desaparecidos durante a Guerra

Arquivo com identidades de soldados alemães que morreram ou desapareceram durante a Segunda Guerra Mundial, em uma sala de arquivos da Cruz Vermelha, em Munique, na Alemanha

A Alemanha decidiu encerrar em 2023 sua busca por 1,2 milhão de pessoas declaradas desaparecidas desde o final da Segunda Guerra Mundial, anunciou nesta terça-feira (23) a Cruz Vermelha alemã.

"Não vamos poder esclarecer esses (1,2 milhão de) destinos", declarou à agência DPA Thomas Huber, que dirige o serviço encarregado da investigação e busca da Cruz Vermelha alemã.

Este serviço e o Ministério do Interior concordaram em encerrar esses esforços em 2023, ou seja, 78 anos após o fim da guerra, de acordo com a mesma fonte.

A Cruz Vermelha acrescenta que, em 2016, havia nove mil pedidos de informação de descendentes dos desaparecidos e 40% dos casos foram resolvidos.

O serviço realiza pesquisas profundas nos arquivos alemães que sobreviveram à Guerra e aqueles herdados da ex-RDA comunista.

Em 2010, de acordo com a DPA, a Cruz Vermelha alemã conseguiu reunir dois irmãos.

"Para muitos parentes (de pessoas desaparecidas), ainda é um ponto escuro em sua árvore genealógica e nós tratamos ativamente esses arquivos", afirma a agência.

Fundada pouco depois da guerra, este serviço da Cruz Vermelha alemã buscou, desde a sua criação, cerca de 20 milhões de pessoas: soldados mortos ou presos, em particular na antiga União Soviética, mas também civis que sofreram as vicissitudes da grande conflagração mundial.