Alerj revoga prisões de deputados

jose lucena/Futura Press

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro revogou as prisões de Jorge Picciani, presidente da casa, Paulo Melo e Edson Albergassi. A votação aberta apontou 39 votos a favor da soltura dos deputados, 17 votos para que a prisão continuasse e uma abstenção. “Não podemos nos vergar e deixar de cumprir o que a Constituição determina. Vamos ter desgaste eleitoral, não tenham dúvida, mas quero dormir com a consciência tranquila”, afirmou o deputado André Corrêa, do DEM.

O deputado Luiz Paulo, do PSDB, afirmou que, do ponto de vista jurídico, não via alternativa a não ser a manutenção das prisões, mas que politicamente não há decisões, já que a investigação do Ministério Público continua. “É preciso dizer que esta decisão é duríssima, para quem defende a soltura [dos parlamentares] ou a manutenção das prisões. O Legislativo está sob o foco da desconfiança, o que não quer dizer que haja culpa definida. Espero que as acusações não sejam verdadeiras, mas para isso é preciso que as indicações continuem”, declarou.

Os três deputados foram presos na última quinta-feira, 16, por determinação unânime do Tribunal Regional Federal da 2ª Região  (TRF2). Picciani, Melo e Albertassi foram indiciados na Operação Cadeia Velha.