Alerta de ressaca atrai surfistas para praias cariocas com ondas de até 2,5 metros

RIO — A ressaca dos últimos dois dias no Rio atraiu surfistas para praias cariocas. Um ciclone extratropical foi o responsável pelos ventos fortes que chegaram à cidade nesta semana. A expectativa é que até quarta-feira, as ondas atinjam até 2,5 metros.

A ressaca é resultado do tempo nublado e chuvoso no outono carioca. Além da chuva, houve aumento da umidade e os ventos sopraram mais forte. Segundo o Climatempo, nesta terça-feira, o mar sobe no Sudeste, com ondas de até 2 metros e com ressaca durante a noite da cidade do Rio de Janeiro até São João da Barra. Já nesta quarta-feira, a expectativa é que o mar suba mais e tenha ondas de até 2,5 metros.

Para Affonso Dalle, fotógrafo e cinegrafista especializado em surf há 6 anos, essas ondas são bem comuns nessa época do ano, no entanto, ainda não se pode considerar “gigante”.

— Essa ondulação é comum nessa época do ano. A que atinge a costa do Rio nesse momento ainda não é considerada gigante, porém vem proporcionando boas ondas para quem gosta de surfar. Acredito que amanhã [quarta-feira] possa ser o maior e melhor dia para prática do surf. – afirma o fotógrafo, que também surfa e busca por ondas de consequência, mais radicais, com tubo.

Nesta quinta-feira, a tendência é que o tamanho das ondas comece a baixar. Ainda de acordo com o Climatempo, por causa das condições de vento e de mar previstas para a semana, a navegação no trecho do litoral do Rio Grande do Sul ao litoral do Rio de Janeiro é altamente desaconselhável.

Laje de Ipanema

No último domingo, a Laje de Santo Antônio, conhecida popularmente como Laje de Ipanema, na Zona Sul do Rio, recebeu o primeiro campeonato de tubos.

— Tínhamos ondas em torno de 1,5 metro e com condições perfeitas para a laje de Ipanema, com um vento Terral durante toda amanhã e com um ótimo tamanho e direção, para que a laje funcionasse da melhor forma possível, e foi o que aconteceu. – disse Alexandre Cruz, que participou da categoria bodyboarding.

Ainda durante o evento, o surfista contou que tomou uma “vaca” (termo usado no surfe para quando alguém toma um caldo ou sofre uma queda inesperada da prancha) que o segurou por quase 30 segundos embaixo d´água.

— Nesse campeonato, eu tomei uma vaca e fiquei 2 ondas embaixo d água, meu estrepe arrebentou, meu ouvido comprimiu e acabei ficando em uma situação extrema, onde fiquei 22 segundos embaixo d água. Graças a Deus tudo correu bem e estávamos preparado para esse tipo de situação. — contou ele que pratica o esporte há 30 anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos