"Alerta Vermelho": a junção de astros em que tudo dá errado

·2 min de leitura
Gal Gadot em
Gal Gadot em "Alerta Vermelho"

De fora, olhar Alerta Vermelho, novo filme da Netflix, é atestar que não há como a receita dar errado. Gal Gadot, Ryan Reynold e The Rock, três dos maiores astros da atualidade, juntos em uma aventura sobre um roubo e romance ao redor do mundo, e ainda com a força do serviço de streaming por trás. Impossível dar errado. Pois então, pode até ser que o sucesso comercial venha, mas nada dentro do filme segue tal resultado.

A aposta da Netflix em ter seu grande blockbuster com tais estrelas é um dos piores filmes do ano. Na história, vemos um agente do FBI (The Rock) caçando um ladrão de obras de arte (Reynolds), enquanto conhece outro habilidoso criminoso, este interpretado por Gadot. Entre viagens pelo globo e alguns coadjuvantes que fazem sala para as cenas do trio, vemos uma trama que se basta pela imagem dos atores e não faz questão alguma de da o mínimo de profundidade ao roubo em si.

Leia também:

Não seria de todo ruim se a química do trio funcionasse, mas não é o que acontece - e não deixa de ser outra surpresa. Mesmo que não sejam os áses da atuação, todos aqui têm uma presença de tela considerável e um timing cômico que combinaria até nos piores dias de trabalho. O roteiro, porém, força tanto a barra na comédia que em nenhum momento há sequer um fiapo de integração entre Rock e Reynolds, principalmente. A direção de Rawson Marshall Thunder (do bom A Família do Bagulho) não acha o equilíbrio entre as cenas de ação, os drones mirabolantes e as piadas sarcásticas de Reynolds, muito menos consegue combinar isso com o suposto charme de Gadot.

Ainda que a execução não contemple o tamanho dos astros, não dá pra dizer que Alerta Vermelho não é bem produzido. Os cenários são belíssimos, os efeitos visuais cumprem seu papel e, claro, não falta um segundo de tela para admirar o trio protagonista. 

Ouça o Pod Assistir, podcast de filmes e séries do Yahoo:

Mas ao arrancar esta camada, não sobra nada, tampouco diversão dentro desta tentativa de aventura bombástica. É, no máximo, um filme de ação esquecível, que provavelmente não será lembrado na carreira de nenhum dos astros que aqui se juntaram.

*Thiago Romariz é jornalista, professor, criador de conteúdo e atualmente head de conteúdo e PR do EBANX. Omelete, The Enemy, CCXP, RP1 Comunicação, Capitare, RedeTV, ESPN Brasil e Correio Braziliense são algumas das empresas no currículo. Em 2019, foi eleito pelo LinkedIn como um dos profissionais de destaque no Brasil no prêmio Top Voice

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos