Alertada dois dias antes, PM 'ignorou' plano para conter bolsonaristas no DF

Corporação sabia que bolsonaristas se reuniriam em Brasília no domingo (8)

Manifestantes bolsonaristas invadiram e depredaram prédios dos Três Poderes em Brasília - Foto: REUTERS/Adriano Machado
Manifestantes bolsonaristas invadiram e depredaram prédios dos Três Poderes em Brasília - Foto: REUTERS/Adriano Machado
  • PM foi avisada sobre manifestação de bolsonaristas 2 dias antes;

  • SSP fez uma lista com 11 ações que deveriam ter sido tomadas pela corporação;

  • A polícia, no entanto, ignorou o plano de ação para manter a ordem e segurança pública.

Dois dias antes dos atos de vandalismo em Brasília, a Polícia Militar do Distrito Federal foi alertada sobre o planejamento de uma manifestação de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Em documento obtido e divulgado pelo portal Metrópoles, a Secretaria de Segurança Pública orienta a PM a impedir a entrada dos extremistas na Praça dos Três Poderes e lista uma série de ações de deveriam ter sido tomadas, mas que foram ignoradas pela corporação.

O resultado da negligência foi a invasão e depredação dos prédios do Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Supremo Tribunal Federal (STF).

O Protocolo de Ações Integradas, emitido no dia 6 de janeiro, detalha que a PMDF seria responsável por 11 ações com o objetivo de manter a ordem no local. Entre elas, “executar ações de policiamento ostensivo” e estar pronta para “empregar tropa especializada, em caso de perturbação da ordem”.

O texto ainda delega outras diversas ações a cada órgão distrital e federal para conter o ato violento convocado por bolsonaristas nas redes sociais.

O documento prova que a PM sabia das manifestações e não colocou em prática o plano previsto para contê-las. Autoridades federais agora investigam se os agentes foram coniventes com os invasores e se houve, de fato, negligência.

Quais ações a PMDF deveria ter tomado?

Veja abaixo a lista determinada pela SSP:

  • Realizar o fechamento do trânsito de veículos na Esplanada dos Ministérios;

  • Planejar e executar ações de policiamento ostensivo, com objetivo de manter e preservar a ordem pública durante a realização do evento, empregando, para esse fim, efetivos e meios necessários;

  • Executar policiamento e monitoramento nas rodovias distritais e de acesso no DF, com objetivo de prevenir trânsito de veículos de manifestantes para a área central de Brasília, direcionando as caravanas identificadas para estacionamento na Granja do Torto;

  • Reforçar o policiamento ostensivo nas imediações das centrais de distribuição de combustíveis no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA);

  • Executar o policiamento ostensivo de trânsito no deslocamento dos manifestantes;

  • Acompanhar o ato durante todo o itinerário, de forma a manter a segurança das pessoas e do patrimônio e evitar acidentes;

  • Impedir que os manifestantes utilizem objetos, materiais ou substâncias capazes de produzir lesão ou causar dano durante a marcha;

  • Ficar em condições de empregar tropa especializada em controle de distúrbio, no caso de perturbação da ordem;

  • Não permitir acesso de pessoas e veículos à Praça dos Três Poderes;

  • Efetuar interdições parciais ou totais das vias públicas, quando necessárias;

  • Manter reforço de efetivo nas adjacências/perímetro interno dos prédios públicos de toda extensão da Esplanada dos Ministérios, Congresso Nacional e Praça dos Três Poderes, bem como na Estação Rodoviária de Brasília.

Entenda o que aconteceu