Alesp pode cassar Isa Penna por confrontar delegado que liberou procurador agressor

A Alesp abriu um processo no Conselho de Ética contra a deputada Isa Penna pelo fato de a parlamentar participar de um protesto contra a decisão do delegado Fernando Carvalho Gregório, que liberou o procurador Demétrius após agredir brutalmente sua colega de trabalho. (Foto: Divulgação/Alesp)
A Alesp abriu um processo no Conselho de Ética contra a deputada Isa Penna pelo fato de a parlamentar participar de um protesto contra a decisão do delegado Fernando Carvalho Gregório, que liberou o procurador Demétrius após agredir brutalmente sua colega de trabalho. (Foto: Divulgação/Alesp)
  • Alesp abre processo que pede cassação do mandato da deputada estadual Isa Penna;

  • Ela é acusada de quebrar o decoro parlamentar após cobrar um delegado no interior de SP;

  • Na ocasião, ela protestou contra a soltura de procurador que espancou colega de trabalho.

A Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) abriu nesta quarta-feira (5) um processo que pede a cassação da deputada estadual Isa Penna (PCdoB).

A denúncia foi feita pelo deputado Coronel Telhada (PP), que a acusa de quebrar o decoro parlamentar após cobrar veementemente um delegado na cidade de Registro (SP).

Por quatro votos a três, o Conselho de Ética da Casa aceitou o pedido. Após a abertura do processo, Penna pode receber advertência, censura ou perder o mandato temporariamente ou definitivamente.

Entenda o caso

Em junho deste ano, a deputada foi até Registro participar de um protesto contra a decisão do delegado Fernando Carvalho Gregório.

SP: Procuradora é agredida a socos por colega de trabalho (Foto: Reprodução))
SP: Procuradora é agredida a socos por colega de trabalho (Foto: Reprodução))

Ele soltou o procurador Demétrius Oliveira de Macedo, que aparece em vídeo espancando uma colega de trabalho dentro da prefeitura, a procuradora-chefe Gabriela Samadello Monteiro de Barros. Nas imagens, é possível ver Macedo dando socos e pontapés em Gabriela enquanto a chama de “puta” e “vagabunda”.

Após a decisão, o delegado foi visitado por cerca de 60 mulheres que se posicionaram contra o ocorrido. Uma delas é Penna, que o questionou diretamente.

"Você está me dizendo que você olhou para a cara daquela mulher, que está de olho roxo, que nunca vai esquecer isso na vida dela, e você mandou ela para casa e liberou o agressor dela? Sem pedir uma medida protetiva que fosse?", questionou, com o dedo apontado para Fernando Gregório. “E você se chama de servidor público?”

Na ocasião, o Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo emitiu nota dizendo que Penna “ultrapassou os limites da imunidade e prerrogativa do seu mandato” para questionar “a decisão tomada pela Autoridade Policial”.

O que diz Isa Penna

Ao UOL, a deputada disse que levantou a voz para o delegado porque as mulheres que foram protestar não foram recebidas pelas autoridades e sua assessora foi intimidada por filmar o ato.

Neste contexto de ânimos exaltados, chega esse delegado justificando que não havia flagrante. E eu falei, 'Como assim? Você viu as marcas, assistiu ao vídeo'. Obviamente que seu fosse falar agora com ele, não teria sido daquele jeito, mas havia um contexto de intimidação e a minha revolta com a indiferença dele em relação a uma tentativa de feminicídio", afirmou.

Penna recebeu 31 mil votos e não terá mandato no ano que vem.