Alexandre de Moraes determina bloqueio de redes sociais do PCO

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Ministro Alexandre de Moraes, do STF (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Ministro Alexandre de Moraes, do STF (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu um prazo de 24 horas para Twitter, Instagram, Facebook, Telegram, YouTube e Tik Tok bloquearem perfis e canais do Partido da Causa Operária (PCO).

Em caso de descumprimento, foi fixada uma multa diária de R$ 20 mil, informou o jornal O Globo.

No início do mês, o ministro determinou que o partido de extrema esquerda fosse investigado por disseminar ataques ao Supremo e colocar em dúvida a segurança do sistema eletrônico de votação usado no país.

Além disso, Moraes já havia mandado bloquear as contas da legenda nas redes sociais.

"Não há qualquer justificativa para o parcial descumprimento da decisão judicial proferida nestes autos", diz trecho de decisão tomada agora por Moraes.

Os alvos do inquérito das fake news são, em geral, da extrema direita, como apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Na decisão no início de junho, Moraes destacou que as publicações são graves e "atingem a honorabilidade e a segurança do Supremo Tribunal Federal e de seus ministros, bem como do Tribunal Superior Eleitoral, atribuindo e/ou insinuando a prática de atos ilícitos por membros da Suprema Corte e defendendo a dissolução do tribunal".

Assim, disse ele, "é necessária a adoção de providências aptas a cessar a prática criminosa, além de esclarecer os fatos investigados".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos