Alexandre Frota afirma ter sofrido censura de SBT, Band e RedeTV! após romper com Bolsonaro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Valter Campanato/Agência Brasil
Valter Campanato/Agência Brasil

Um dos mais recentes opositores e desafetos do presidente Jair Bolsonaro, o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP), fez acusações contra três das maiores redes de televisão do Brasil.

Em sua conta no Twitter, o deputado paulista afirmou que tinha programas marcados com SBT, Band e RedeTV!. De acordo com Frota, todos foram cancelados após seu rompimento com Bolsonaro e posterior expulsão do PSL.

Algum tempo depois, Frota compartilhou uma matéria que repercutia suas acusações afirmando que se tratava de censura. “Fazendo como a esquerda”, escreveu o deputado.

Essa não é a primeira vez que Frota mira em Bolsonaro após deixar o PSL. Questionado sobre o partido em sua participação no 'Roda Viva', da TV Cultura, afirmou que a legenda é uma "ditadura bolsonarista" em que não se pode criticar o presidente.

Leia também

O processo de expulsão do deputado foi aberto a pedido do próprio presidente, que ameaçou não concorrer à reeleição pelo partido em 2022 caso Frota continuasse filiado.

Ainda no partido, Alexandre Frota se absteve na votação da Reforma da Previdência, disse que Bolsonaro é a sua "maior decepção" e criticou a indicação do deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, ao cargo de embaixador brasileiro em Washington. Ele foi expulso por desalinhamento partidário.

“Você não pode falar nada, você não pode opinar que você é expulso”, disse o deputado durante a entrevista, citando os casos do general Santos Cruz e de Gustavo Bebianno, ambos ex-ministros demitidos por Bolsonaro.

Frota disse, ainda, que Bolsonaro "só ouve quem quer", e pretende se reeleger em 2022. Para conquistar a meta, "tem feito tudo para se mostrar" – mas, na opinião do deputado, está exagerando.

Poucos dias depois de sua expulsão do PSL, Frota se filiou ao PSDB, onde tem sido bastante atuante na defesa do governador de São Paulo, João Doria, virtual candidato tucano ao Planalto em 2022.

Na sexta (30), Frota ironizou as críticas do presidente ao governador paulista por ter utilizado financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para comprar um jatinho.

"É mais honesto e coerente empresários buscarem financiamento no BNDES. É melhor do que buscar dinheiro no Queiroz Investimento", disse, se referindo a Fabrício Queiroz, o ex-assessor de Flávio Bolsonaro que está sendo investigado por movimentações financeiras suspeitas e laços com milicianos quando era chefe de gabinete do filho do presidente na Assembleia Legislativa do Rio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos