Alexandre de Moraes confere teste de integridade das urnas em São Paulo

SÃO PAULO, SP,  BRASIL, 30.10.2022 -  2° Turno das eleições 2022. O presidente do TSE, ministro Alexandre de Moraes, vota no colégio Madre Alix, no Jardim Paulistano, zona oeste. (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, BRASIL, 30.10.2022 - 2° Turno das eleições 2022. O presidente do TSE, ministro Alexandre de Moraes, vota no colégio Madre Alix, no Jardim Paulistano, zona oeste. (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Alexandre de Moraes, realizou uma entrevista coletiva após conferir o teste de integridade das urnas eletrônicas em São Paulo. Mais de 50 eleitores haviam participado do teste de integridade da urna eletrônica por biometria na capital paulista até as 9h30 deste domingo (30), segundo o desembargador Paulo Galizia, presidente do TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo).

Moraes disse que o eleitor está participando "porque sabe da lisura das urnas eletrônicas e quer atestar isso, quer auxiliar a Justiça eleitoral a, de uma vez por todas, acabar com essa notícia fraudulenta e criminosa de que há fraudes nas urnas eletrônicas".

"Eu quero aproveitar para pedir para todas as eleitoras e todos os eleitores comparecerem. Vamos diminuir a abstenção. Vamos mostrar que o brasileiro e a brasileira querem paz no país, querem tranquilidade, e vamos terminar o dia de hoje com uma grande vitória: a da democracia", afirmou o magistrado.

VOTAÇÃO

Mais cedo, o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Alexandre de Moraes, chegou às 8h40 ao Colégio Madre Alix, na zona sul de São Paulo, para votar e aguardou na fila por dez minutos. Pouco antes de sua chegada, a urna da seção travou e precisou ser reiniciada.

Sem falar com a imprensa, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) aceitou pedidos de fotos de eleitores. Do colégio, o ministro segue para o Centro Cultural São Paulo para acompanhar um teste de urna.

Mais cedo, no Twitter, Moraes desejou aos eleitores um "ótimo domingo de votação", com "paz, segurança, consciência e esperança".

Na noite de sábado (29), o ministro vetou a realização de qualquer operação pela Polícia Rodoviária Federal contra veículos utilizados no transporte público de eleitores. O ministro também vetou a divulgação do resultado de operações da Polícia Federal relacionadas às eleições.