Alexandre de Moraes diz que Salles será ouvido pela PF 'a seu critério'

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou que a Polícia Federal irá ouvir o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, no âmbito da Operação Akuanduba "no decorrer da investigação e a seu critério", e "na medida em que for necessária à elucidação dos fatos investigados".

O despacho do ministro foi dado nesta quarta-feira, depois que a defesa de Salles apresentou um pedido para que ele seja ouvido no âmbito da operação que apura possíveis irregularidades na pasta e que motivou uma operação da Polícia Federal há duas semanas.

Os advogados do ministro do Meio Ambiente pedem para que o depoimento seja colhido pela Procuradoria-Geral da República, "juntamente com representante da Polícia Federal".

"A Polícia Federal, no decorrer da investigação e a seu critério, procederá à oitiva do ora requerente, na medida em que for necessária à elucidação dos fatos investigados. Não há óbice, cumpre ressaltar, à eventual iniciativa da Procuradoria-Geral da República no sentido de ouvir o requerente, se assim entender pertinente, em atendimento à sua função institucional constitucionalmente definida", diz o ministro Alexandre de Moraes no despacho.

A Operação Akuanduba foi deflagrada no dia 19 de maio por determinação de Alexandre de Moraes. A PF cumpriu mandados de busca e apreensão no Ministério do Ambiente e em endereço ligados a Salles, entre outros locais. O ministro e servidores do Ibama tiveram os sigilos bancários e fiscais quebrados. Além disso, o presidente do Ibama, Eduardo Bim, e outros servidores do instituto e do ministério foram afastados do cargo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos