Alguém está “protegendo” o sequestrador de Madeleine McCann, afirma detetive

Madeleine McCann desapareceu em 2007 (Rex)

A detetive que passou três anos à procura de Madeleine McCann disse que o sequestrador contou a mais alguém sobre o crime e que a vítima ainda pode estar viva.

Dave Edgar, de 60 anos de idade, começou a trabalhar no caso em 2009. Ele acredita que o sequestrador está sendo protegido por alguém, 10 anos após o desaparecimento da vítima.

Em uma nova entrevista, ele pediu que qualquer um que tivesse informações sobre o caso se apresentasse, acrescentando que tinha certeza de que os pais, Kate e Gerry McCann, não estavam envolvidos.

Em uma entrevista para o Mirror, ele disse: “Se alguém confidenciou algo para você, agora é a hora de se apresentar”.

“Os sequestradores não conseguiriam se manter escondidos por tanto tempo sem ajuda. Além disso, pesquisas mostram que eles sempre confiam segredos envolvendo seus crimes a outras pessoas”.

Edgar acrescentou: “Até que um corpo seja encontrado a investigação continua, e sempre há esperança de encontrá-la viva”.

Dave Edgar trabalhou no caso em 2009 (Rex)

Edgar, que dirige o Alpha Investigations Group, foi contratado pela família McCann para investigar o desaparecimento de Madeleine e trabalhou no caso até a polícia metropolitana assumir em 2012.

Madeleine desapareceu na noite de 3 de maio de 2007. Ela foi vista pela última vez na sua cama, num resort de férias na Praia da Luz, em Portugal.

Caso ainda esteja viva, ela fará 14 anos em maio deste ano.

O inquérito, que custou mais de 12 milhões de libras, recebeu mais 85.000 libras em fundos, o que permitirá que o detetive continue sua investigação.

No início deste ano, a família McCanns perdeu um caso de difamação contra um detetive português que afirmou que eles haviam forjado o rapto de Madeleine.

Os detetives dizem frequentemente que estão trabalhando com a hipótese de que a menina foi sequestrada por uma gangue europeia de tráfico de crianças.

Anthony Pearce
Yahoo News UK