Algumas cenas da sequência de Avatar tiveram que ser filmadas duas vezes, com dois anos de diferença; entenda

Enquanto "Avatar: O Caminho da Água" continua quebrando recordes de bilheteria em todo o mundo, o diretor James Cameron segue revelando os mistérios que envolveram a produção do filme e que atiçam a curiosidade dos fãs ao redor do mundo. Em entrevista recente para a revista Vanity Fair, Cameron disse que muitas cenas tiveram que ser filmadas duas vezes, com dois anos de diferença.

'Avatar: O caminho da água' supera público do primeiro 'Avatar' nos cinemas brasileiros

Impulsionados por 'Avatar 2', cinemas brasileiros lotam no fim de semana da invasão golpista

Segundo o diretor, filmar cenas com humanos e Na'vi foi "terrivelmente difícil", referindo-se ao personagem de Jack Champion, "Spider", que passa a maior parte do filme acompanhando os nativos de Pandora. O ator teve que fazer toda a sua atuação duas vezes: uma como referência para seus colegas de elenco, incluindo Sam Worthington, Zoe Saldaña e Sigourney Weaver, e outra para realmente ser filmado em live-action. “A beleza foi que tivemos que fazer duas vezes”, comentou Cameron.

— Jack Champion fez toda a sua performance duas vezes, uma vez para ajudar todos os outros atores, de modo que ele estava lá, mas fora das câmeras. E ele tinha uns 13 anos na época. Mais tarde, quando o filmamos, ele tinha 15 anos, então seu tamanho e alcance vocal mudaram um pouco, mas, com o auxílio de Russ Carpenter, diretor de fotografia, conseguimos ter essas cenas de captura sem nenhum defeito. —, explicou o diretor.

Champion também estrelará a terceira parte da franquia Avatar, com estreia marcada para dezembro de 2024. Cameron já deu pistas do que está por vir nessa terceira parte, revelando que o próximo filme irá explorar “culturas diferentes das que já foram mostradas".

— Quero mostrar os Na'vi por outro ângulo porque, até agora, só mostrei o lado bom deles. —, confessou Cameron.

Confira abaixo outras curiosidades sobre a produção de "Avatar: O Caminho da Água":

Haja fôlego

Kate Winslet gabou-se, em entrevistas, de ter superado Tom Cruise, conhecido pelas cenas de ação, no que diz respeito a ficar mais sem respirar durante filmagens. A atriz chegou a ficar 7 minutos e 15 segundos submersa.

Câmara, ação, pulmão

Não foram apenas os atores que aprenderam técnicas de prender a respiração. Para a captura de movimento, Cameron precisava de uma água cristalina, o que fez com que a equipe técnica não pudesse usar tanques de oxigênio, que geram muitas bolhas na água.

Gravações debaixo d’água

A técnica de captura de movimentos dos atores foi utilizada pela primeira vez no cinema em gravações submarinas. Para isso, foi construído um tanque com dez metros de profundidade para registrar a atuação.