Aliado de Crivella, presidente da Câmara dos Vereadores o chama de mentiroso

Luiz Ernesto Magalhães
·2 minuto de leitura
Foto: Foto: Marcos de Paula 22-12-2017 / Agência O Globo
Foto: Foto: Marcos de Paula 22-12-2017 / Agência O Globo

RIO - Considerado até então um aliado do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) para facilitar a tramitação de projetos de interesse do governo na Câmara dos Vereadores, o presidente Jorge Felippe (DEM) atacou nesta sexta-feira o candidato à reeleição, alegando que ele teria mentido de forma deslavada no debate da TV Bandeirantes. O motivo do conflito é a tramitação de proposta do candidato do Republicanos para aprovar um projeto que reduz o IPTU a níveis de 2017, apresentado às véspera do primeiro turno. Crivella afirmou que Jorge Felipe teria lhe contato que o adversário Eduardo Paes teria pedido para que a proposta não fosse levada a plenário na semana que vem. Felippe negou.

— Não fica bem, um homem na sua posição, mentir descaradamente como o senhor está fazendo. Dá-se a impressão que o desespero é tamanho que à medida que se aproxima 29 de novembro (dia do segundo turno) suas mentiras estão aumentando assustadoramente. Prefeito, corrija-se, peça desculpas, pare de ter essa postura mentirosa. O povo não respeita as pessoas que mentem. Horrorizado, assisti às mentiras deslavadas que o senhor proferiu no debate. Entre elas, que eu teria lhe dito que o prefeito Eduardo Paes havia pedido para não tramitar os seus projetos de IPTU. Nunca lhe disse isso. Nunca foi objeto de discussão contigo ou com Eduardo Paes.

Jorge Felippe era do MDB. Mas trocou de partido na última janela partidária. E disputou a reeleição na mesma legenda que Paes. Nos corredores do Palácio Pedro Ernesto comenta-se que assim como em outros governos, manteve boas relações com Crivella à frente do Executivo, tendo inclusive indicações políticas na área de conservação.

No debate da Band, Paes chamou Crivella de ‘’Pai da Mentira’’, numa menção bíblica ao Diabo. Crivella, por sua vez, afirmou que se ele era o ‘’pai da mentira’’, o adversário seria a ‘madrinha da mentira’’. Mais cedo, o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL) acusou Crivella de mentir depois que o candidato apareceu em um vídeo com o também deputado Ottoni de Paula (PSC). Na transmissão, os dois afirmavam que se Paes ganhasse, a pedofilia estaria liberada na rede pública pois o secretário seria do PSOL. Freixo disse que irá processar Crivella.

O projeto de IPTU foi apresentado este mês, apesar de a prefeitura enfrentar dificuldades de caixa. A proposta, no entanto, sequer passou por análise prévia da Secretaria Municipal de Fazenda. A discussão do orçamento de 2021 está parada porque a proposta não previu a queda da receita se o projeto fosse aprovado, que poderia passar de R$ 500 milhões em apenas dois anos. Crivella alega que aumentou o imposto no início de sua gestão porque precisava pagar dívidas deixadas por Paes.

Procurada, a campanha de Crivella afirmou que, "em nome da boa relação" entre Felippe e o prefeito, não vai comentar.