Aliado de Lula, Renan Calheiros, do MDB, diz que vai à Justiça para adiar convenção que oficializaria candidatura de Tebet

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A ala lulista do MDB decidiu que vai à Justiça pedir o adiamento da convenção do partido que oficializaria a candidatura da senadora Simone Tebet à presidência da República, e está marcada para o dia 27 de julho de forma virtual. O senador Renan Calheiros diz que o grupo pedirá, na segunda-feira, que a convenção ocorra em 5 de agosto, último dia possível, para que o partido tenha mais tempo para discutir a viabilidade da candidatura própria.

Veja também: Tebet diz que foto de caciques do MDB com Lula tem cheiro de 'naftalina'

'História não perdoa a traição': Dilma rebate declaração de Temer sobre impeachment

— Já está decidido, já está tudo pronto, mas não falaremos nada além da decisão (de acionar a justiça). Vamos pedir para adiar (a convenção) para o último dia — afirmou ao GLOBO, sem detalhar como será o processo para não expor a estratégia do grupo.

Segundo Calheiros, havia um compromisso do presidente nacional do partido, o deputado Baleia Rossi, de fazer uma reunião em junho para avaliar a competitividade da candidatura própria, o que não ocorreu. O objetivo inicial da ação é forçar o adiamento para que haja tempo dessa discussão ser feita.

Leia: Justiça suspende decisão da Câmara e autoriza Eduardo Cunha a disputar eleição

Saiba mais: Após ataques de Bolsonaro às urnas, AGU se reúne com presidente do TSE para buscar pacificação

O temor desse grupo é de que a estratégia acabe por diminuir a representatividade da sigla no Congresso:

— O MDB na eleição passada teve um candidato com desempenho semelhante e isso implicou em um custo muito alto, na redução pela metade da bancada da Câmara e do Senado.

Como o GLOBO mostrou, o encolhimento das bancadas do MDB no Congresso preocupa caciques do partido, que argumentam que a força da sigla está na quantidade de prefeitos, vereadores, deputados e senadores que consegue eleger.

Na última eleição, o partido minguou no Congresso. Na Câmara, o MDB encolheu de 65 deputados eleitos em 2014 para 34 eleitos em 2018 — neste momento, a bancada tem 37 deputados. No Senado, dos 19 parlamentares em 2015, o MDB passou a 12.

A investida da ala lulista do partido para o adiamento da convenção está em curso, mas vem sendo rechaçada por Baleia Rossi. Ele conta com apoio dos correligionários bolsonaristas para emplacar a candidatura própria.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos