Aliado de Renan pede cancelamento de convenção do MDB

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS ) - Um filiado ao MDB de Alagoas protocolou nesta segunda-feira (25) no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) ação para cancelar a convenção do MDB nacional marcada para esta quarta-feira (27). O objetivo do evento é confirmar a candidatura presidencial da senadora Simone Tebet (MS).

A peça é assinada pelo advogado Fabiano Silveira, que já foi ministro da Transparência por indicação do senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Hugo Wanderley Caju, que foi candidato a prefeito de Cacimbinhas (AL) em 2020, argumenta que o formato da reunião, por meio do aplicativo Zoom, viola o sigilo do voto.

"Isso porque a ausência de sigilo nas votações representa grave risco de escolha antidemocrática entre filiados, haja vista a possibilidade de culminar no afastamento de pré-candidatos que desejariam disputar o pleito, no direcionamento dos votos e opiniões de filiados e, ainda, no receio quanto a possíveis represálias da cúpula partidária", justifica.

O documento pede a anulação da convenção com consequente nova convocação, desta vez, em modelo que garanta o sigilo do voto.

Caciques do MDB especialmente do Nordeste, que defendem o apoio a Luiz Inácio Lula da Silva (PT), têm se posicionado a favor do adiamento da reunião. Contrários ao pleito, eles pedem mais tempo para costurar um acordo político.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos