Aliados aconselham Bolsonaro a não comparecer em ato pró-Daniel Silveira

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Brazil's President Jair Bolsonaro attends a national flag hoisting ceremony in honour of the Diplomat's Day at the Alvorada Palace in Brasilia, Brazil, April 20, 2022. REUTERS/Adriano Machado REFILE - QUALITY REPEAT
Aliados temem discurso inflamado do presidente e crise entre poderes. Foto: REUTERS/Adriano Machado.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) foi aconselhado por aliados a não ir para o ato pró-Daniel Silveira, deputado federal condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a 8 anos e 9 meses em regime fechado, que deve ocorrer neste domingo (1). Segundo informações da Folha de S. Paulo, os aliados temem discursos radicalizados e crise entre poderes.

Os organizadores preveem manifestações pró-Daniel Silveira em Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Curitiba. Bolsonaro ainda não confirmou sua presença no ato em Brasília que deve acontecer em frente ao Congresso.

Ainda segundo o jornal Folha de S. Paulo, fontes de aliados do presidente relatam que o indulto concedido ao deputado federal agradou apoiadores, mas desagradou um parcela mais moderada do eleitorado.

Senadores teriam conversado com integrantes do STF eles temem um possível ato de caráter golpista apoiado pela militância nos atos. Resultando uma crise com o judiciário e acusando sem provas o processo eleitoral no Brasil.

No ano passado, em um ato político no Dia da Independência (7), Bolsonaro xingou o ministro Alexandre de Moraes, o ministro é relator de inquéritos que têm como alvo o presidente e aliados. Dois dias depois das falas, o presidente falou que não teve a intenção de “agredir quaisquer poderes”.

De acordo com informações do jornal, o empresário João Salas, que participa da organização do ato, declarou que vai disponibilizar quatro trios elétricos para o presidente falar com o “coração”. Ainda é possível que ocorra uma motociata antes da manifestação.

As autoridades de todas as capitais devem ficar em alerta, pois neste dia 1º de maio (dia do trabalhador) também irão ocorrer atos contra o presidente Bolsonaro. Em São Paulo, o ato deve contar com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A secretaria informou que deve reforçar o policiamento na capital paulista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos