Aliados de Bolsonaro criticam ex-presidente no fim do governo: ‘Decepcionante’

Aliados de Jair Bolsonaro (PL) vêm demonstrando insatisfação e fazendo críticas ao ex-presidente que deixou o Brasil antes de concluir seu mandato. Além de declarações de “decepção” com sua postura após a derrota, a conduta do ex-chefe do Palácio do Planalto durante seu governo também foi posta em xeque.

Governo Lula: Acompanhe a posse dos ministros

Entenda o motivo: Lula terá quatro dias a mais de mandato em relação a Bolsonaro

Uma das críticas mais contundentes veio de seu vice, Hamilton Mourão, em um pronunciamento feito no último dia de governo, quando Bolsonaro já estava na Flórida, nos Estados Unidos. Sem citar o ex-chefe nominalmente, Mourão criticou líderes que teriam criado um "clima de caos" no país.

— Lideranças que deveriam tranquilizar e unir a nação em torno de um projeto de país deixaram com que o silêncio ou o protagonismo inoportuno e deletério criasse um clima de caos e desagregação social e, de forma irresponsável, deixaram com que as Forças Armadas, de todos os brasileiros, pagassem a conta, para alguns, por inação, e, para outros, por fomentar um pretenso golpe — afirmou o ex-vice.

Aliado ferrenho de Bolsonaro nos últimos quatro anos, o deputado federal Otoni de Paula (MDB-RJ) disparou contra o ex-presidente reprovando sua postura após a derrota para Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas urnas. O parlamentar opinou que Bolsonaro não tem o direito de ficar em silêncio enquanto apoiadores acampam há 40 dias em quartéis, falou em blefe, e afirmou que a atitude do ex-chefe do Executivo "beira a covardia".

– Eu sempre fui um aliado do presidente Bolsonaro que teve coragem de destoar em alguns momentos. Assim como agora subi à tribuna essa semana para pedir ao presidente Bolsonaro que tome uma decisão e que comunique essa decisão ao seu povo. Seja ela qual for. Mesmo que seja a mais triste e dolorosa, de que nada será feito – disse Otoni de Paula ao portal bolsonarista Jornal da Cidade Online. – Mas o silêncio do presidente, e pior do que o silêncio do presidente, as frases enigmáticas, as fotos enigmáticas... isso tudo está fazendo tão mal ao nosso povo que chega a beirar uma covardia, uma manipulação do povo.

Outro apoiador do ex-presidente que demonstrou publicamente decepção com sua conduta recentemente foi o pastor e líder da Igreja Batista da Lagoinha André Valadão. Ele foi questionado por um seguidor em sua rede social sobre a relação com Bolsonaro e não escondeu a insatisfação.

“Como eu sempre disse nas redes. Defendo a ideologia de direita e sou completamento contra o ideal do PT e da esquerda. Nunca foi sobre Bolsonaro. Quanto a decepcionar. Sim! Ele tem agido de forma decepcionante, agido não, não agido”, afirmou Valadão.

Um dos coordenadores da campanha de Bolsonaro em 2018, o deputado federal Julian Lemos (União Brasil) vem elevando o tom nas críticas ao ex-aliado. Em diversas postagens em suas redes sociais ele ataca o ex-presidente a quem chama de “covarde” e diz se arrepender de ter o apoiado.

“Que tipo de líder de uma nação deixa seu país antes mesmo de terminar seu mandato sem dizer nada, sem honrar aqueles que se sacrificaram ainda que enganados por ele ? Até para morrer é preciso ter honra. Jair Bolsonaro é um merda, o homem mais covarde que já conheci”, publicou Lemos recentemente.