Aliados de Doria pressionam, e Ricardo Nunes exonera secretário que decidiu apoiar Eduardo Leite

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*ARQUIVO*  SÃO PAULO / SÃO PAULO / BRASIL - 14/06/21 - :00h - Entrevista com prefeito Ricardo Nunes, que completa um mês à frente da prefeitura de São Paulo  ( Foto: Karime Xavier / Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO / SÃO PAULO / BRASIL - 14/06/21 - :00h - Entrevista com prefeito Ricardo Nunes, que completa um mês à frente da prefeitura de São Paulo ( Foto: Karime Xavier / Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), decidiu nesta segunda-feira (8) a exoneração do secretário municipal de Habitação, Orlando Faria.

Como mostrou a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, o secretário, um dos mais próximos de Bruno Covas (PSDB), afirmou horas antes que nas prévias tucanas apoiará Eduardo Leite, principal adversário de João Doria.

Em reação à decisão, aliados de Doria pressionaram Nunes para que exonerasse Faria.

O argumento é o de que Faria comanda uma pasta que recebe muitos recursos do governo do estado e, por isso, não poderia apoiar tão abertamente a candidatura de um concorrente de Doria.

Além disso, cobraram de Faria que tivesse comportamento similar ao de outros secretários, que votarão em Leite, mas não estão manifestando apoio publicamente.

Faria é influente no PSDB do interior de São Paulo e organizou um encontro para receber o governador do Rio Grande do Sul no sábado (6), em São João da Boa Vista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos