Aliados de Merkel abandonam o parlamento alemão para permitir que conservadores se reconstruam

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

BERLIM (Reuters) - Dois aliados políticos da chanceler Angela Merkel, de saída do cargo, e a maioria dos principais ministros abandonarão o Parlamento alemão para abrir espaço a uma nova geração que possa rejuvenescer o seu partido conservador após a derrota eleitoral, disseram.

A decisão de Peter Altmaier, ministro da Economia, e da ministra da Defesa, Annegret Kramp-Karrenbauer, chega durante uma luta interna no campo conservador, após Armin Laschet, outro aliado próximo de Merkel, tê-lo conduzido à derrota mês passado.

O anúncio deste sábado foi feito por Tobias Hans, chefe do Partido Democrata Cristão (CDU), de Merkel, em Saarland -- a região natal de Altmaier e Kramp-Karrenbauer --, que se juntou aos outros dois dizendo que o partido precisa recuperar os jovens.

(Reportagem de Thomas Escritt e Andreas Rinke)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos