Aliados de Paulinho da Força se incomodam com sua ausência do grupo de transição

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A ausência de Paulinho da Força, presidente do Solidariedade, do conselho político do governo de transição de Lula (PT) causou incômodo entre aliados do próprio deputado na Força Sindical. O grupo é formado por representantes de 13 partidos.

"A participação do Paulinho daria mais visibilidade ao partido e mais força às reivindicações sindicais", diz João Carlos Gonçalves, o Juruna, secretário-geral da Força Sindical.

O parlamentar preferiu indicar Jefferson Coriteac, vice-presidente do Solidariedade, e não explicou os motivos para não ter assumido o posto. Procurado pela reportagem, não deu resposta.