Aliados pressionam Lula a concordar com prisão domiciliar

Luiz Inacio Lula da Silva está preso na carceragem da PF em Curitiba desde abril (AP Photo/Nelson Antoine)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estaria sendo pressionado por pessoas próximas, como familiares e integrantes do PT, a concordar com um pedido de prisão domiciliar. A informação é da colunista Mônica Bergamo.

Segundo a coluna, Lula sempre rechaçou a possibilidade e continua resistindo à ideia. Em junho deste ano, o advogado Sepúlveda Pertence entrou um memorial aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) com um pedido para substituir a prisão em regime fechado por prisão domiciliar, chegando a conversar pessoalmente com alguns deles; o petista foi contra.

A atitude de Pertence expôs um racha na defesa do ex-presidente, com outros advogados contrários à ideia de prisão domiciliar. Lula argumenta que prefere ter a inocência reconhecida na Justiça. Seus aliados, a princípio, também concordavam que a atitude contraria o discurso de que o petista seria vítima de perseguição.

No entanto, neste fim de ano, alguns correligionários já tentam demovê-lo da ideia e querem que ele aceite a possibilidade de cumprir o restante da pena em casa.

Na tarde desta terça-feira (4), o petista terá um pedido de habeas corpus julgado pela Segunda Turma do STF. A defesa alega que o ex-juiz Sergio Moro, que condenou o petista em primeira instância pelo caso do tríplex do Guarujá, foi parcial em sua sentença. Eles utilizam como argumento a nomeação de Moro para o Ministério da Justiça no governo de Jair Bolsonaro (PSL).