Aliança de PDT e PSOL em torno de Boulos em SP teria apoio contido a Ciro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 29.05.2021 - Guilherme Boulos, do PSOL. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 29.05.2021 - Guilherme Boulos, do PSOL. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - No avanço das tratativas entre PDT e PSOL em torno de Guilherme Boulos para o governo de São Paulo, revelado pelo jornal Folha de S.Paulo, os dois lados dizem que, caso a aliança se concretize, a relação de apoio a Ciro Gomes deverá ser contida, com algumas aparições conjuntas, ou, ao menos, um pacto de não agressão, para evitar constrangimentos.

O PSOL trabalha com duas opções nas eleições de 2022: uma candidatura própria ou apoiar Lula (PT), o que já foi colocado ao PDT em mais de uma ocasião, sem que houvesse atritos.

Juliano Medeiros, presidente do PSOL, afirma que "a candidatura de Ciro será tratada com o máximo respeito" caso o acordo se concretize.

Carlos Lupi, presidente do PDT, esboçou ter compreensão similar ao falar sobre o tema com a Folha de S.Paulo no domingo (2). "Boulos receberia o Ciro, fazendo a praxe de candidato a governador, e faria a campanha de quem quisesse, no caso, também a do Lula", disse.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos