Alibaba fatura US$ 74 bilhões em vendas no Dia do Solteiro

O Globo
·1 minuto de leitura

HANGZHOU, China – As vendas do Alibaba no Dia do Solteiro, principal data do comércio eletrônico na China, alcançaram US$ 74 bilhões, superando o faturamento do e-commerce americano na Black Friday e na Cyber Monday, sendo 21 vezes maiores que o Prime Day da Amazon, realizado no mês passado.

Reunindo várias lojas digitais do grupo Alibaba, a data se consolida como o maior evento do varejo global. Rivais como JD.com e Pinduoduo também participam da festa do comércio eletrônico chinês, mas com menos destaque.

E a intenção do Alibaba é popularizar o evento em outros países, inclusive no Brasil. Neste ano, a AliExpress, com forte presença por aqui, contratou celebridades como a cantora Gretchen e a modelo Gracyanne Barbosa para atrair os consumidores, rebatizando o Dia dos Solteiros como 11.11 Festival Global de Compras.

A performance é indicativo da recuperação da economia chinesa, mas também do novo comportamento dos consumidores.

— Por causa da Covid-19, muitos chineses não podem viajar ao exterior — afirmou o vice-presidente do Alibaba, Liu Bo, à agência Reuters. — Isso realmente estimula o consumo on-line.

Neste ano o evento foi, em parte, antecipado para entre os dias 1º e 3 de novembro, com as primeiras ofertas, que perduraram até esta quarta-feira, dia 11. O Dia do Solteiro foi lançado em 2009 e já se consolidou no mercado chinês. No ano passado, o faturamento do Alibaba foi de US$ 38,4 bilhões.

Mas o bom resultado foi eclipsado pelas incertezas que pairam sobre as empresas de tecnologia chinesas após o governo divulgar regras para conter práticas monopolistas no setor. Na Bolsa de Hong Kong, as ações do Alibaba fecharam em queda de 9,8%. Em Nova York, operavam em leve queda de 0,3% na tarde desta quarta-feira.