Alibaba tem receita abaixo das expectativas no 3° tri

BENGALURU/XANGAI (Reuters) - O gigante chinês de comércio eletrônico Alibaba divulgou nesta quinta-feira um aumento menor do que o esperado na receita trimestral, uma vez que as restrições contra a Covid-19 e uma piora nas perspectivas econômicas reduziram os gastos do consumidor.

O Alibaba também teve que enfrentar a forte concorrência de nomes como Pinduoduo e Douyin --este uma versão chinesa do Tiktok e também pertencente à ByteDance--, que expandiram suas ofertas de comércio eletrônico e conquistaram mais participação de mercado.

Além disso, a empresa ainda não se recuperou totalmente de uma repressão regulatória ao setor de tecnologia que reduziu as oportunidades de crescimento na China.

A receita do Alibaba cresceu 3% ante um ano antes, para 207,18 bilhões de iuans (28,96 bilhões de dólares), nos três meses encerrados em 30 de setembro. Analistas esperavam receita de 208,62 bilhões de iuans, segundo pesquisa da Refinitiv.

O Alibaba, que administra os maiores sites de comércio online da China, Tmall e Taobao, e possui uma ampla gama de negócios, de logística a serviços em nuvem, reportou prejuízo líquido atribuível aos acionistas de 20,56 bilhões de iuans no trimestre.

Excluindo itens não recorrentes, o Alibaba lucrou 12,92 iuans por ADR.

O trimestre atual também tem sido difícil para o grupo. Na semana passada, o Alibaba pela primeira vez não divulgou os números de vendas do festival de compras "Singles Day" (Dia dos Solteiros). A empresa disse apenas que os resultados estavam em linha com os registrados no ano passado, quando a companhia teve o menor crescimento de sua história na data.

O Ant Group, 33% controlado pelo Alibaba, registrou um lucro de 7,72 bilhões de iuans no trimestre encerrado em junho, uma queda de 63,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. O Alibaba divulga o lucro do grupo Ant com um trimestre de atraso.

O Ant Group é um afiliado financeiro do Alibaba. A unidade está passando por uma reformulação determinada pelo governo e ainda não reviveu os planos para sua oferta pública inicial de ações (IPO), após uma tentativa de listagem dupla frustrada no final de 2020.

O Alibaba disse em comunicado de resultados que aumentará seu programa de recompra de ações em 15 bilhões de dólares adicionais e o estenderá até o final do ano fiscal de 2025.

(Por Eva Mathews e Josh Horwitz)