Alimentos da estação ajudam na saúde e no bolso; confira dicas para uma boa alimentação

A mesa pode ficar mais saborosa e pesar menos no bolso. Como? Escolhendo os alimentos da estação. Isso porque tudo o que é colhido no momento da safra está mais fresco e também mais barato, o que garante economia e melhora na qualidade da alimentação. Para quem não quer ficar por fora da tendência de alimentação com qualidade, o Senac RJ, no curso de gastronomia, mostra a importância de aproveitar esses alimentos e também sobre a necessidade de formar profissionais mais conscientes.

— Optar sempre por alimentos da estação é mais do que uma tendência. É uma questão de responsabilidade com o meio ambiente. O alimento se encontra mais saudável, amadurece naturalmente e mantém os seus nutrientes em concentrações ideais — explica Gisela Abrantes, coordenadora de Pesquisa em Gastronomia do Senac RJ.

Agora no inverno, que vai até 21 de setembro, por exemplo, os cítricos, como laranja, tangerina e limão, ajudam a fortalecer a imunidade, o que ajuda a prevenir gripes e resfriados. É a época também de muitos tubérculos, como o inhame e mandioca, que são fontes de energia importantes já que o nosso corpo gasta mais energia para nos manter aquecidos.

Também é época de abóbora, abobrinha, batata doce, berinjela, brócolis, cará, cenoura, couve-flor, ervilha, mandioquinha, nabo, acelga, alface, chicória, couve, espinafre, mostarda, repolho, banana, mamão, melão, morango, pera e pinhão.

De acordo com Gisela, aproveitar alimentos da estação tem muitos benefícios.

— Os alimentos da estação contêm maior aporte de nutrientes, devido às condições climáticas favoráveis, promovendo sabor mais intenso, além de terem um custo menor, já que há maior disponibilidade no mercado.

A nutricionista Renata Branco complementa dizendo que os alimentos da safra são mais saborosos já que seu ciclo de amadurecimento é respeitado, sem ser necessário o uso de agrotóxicos.

— O uso de agrotóxicos faz com que as plantas produzam menos fitoquímicos, que são compostos naturais produzidos para combater fungos, bactérias e vírus. E esses fitoquímicos são antioxidantes importantes para nossa saúde — explica Renata.

— E não podemos deixar de falar na diferença do preço! Alimentos na safra são mais baratos devido a facilidade de produção, maior oferta e maior facilidade de cultivo local — acrescenta.

Na primavera, que começa dia 22 de setembro, é hora de consumir mais flores e folhas. Alcachofra, berinjela, beterraba, cenoura, chuchu, couve-flor, ervilha, mandioquinha, nabo, vagem, alface, almeirão, chicória, repolho, banana, caju, laranja, melão, morango e pêssego.

Já o verão é momento de frescor, hidratação e tudo de fácil digestão, ou seja, caprichar nas frutas, saladas e alimentos leves: abóbora, abobrinha, agrião, alcachofra, alho, batata-doce, berinjela, cenoura, chicória, chuchu, jiló, mandioca, milho verde, broto de feijão, nabo, pimentão, quiabo, rabanete, repolho, abacaxi, abacate, ameixa, banana, caju, coco, figo, goiaba, jaca, laranja, limão, maçã, manga, maracujá, melancia, melão, pera e uva.

A estação do outono, que vai de março a junho, oferece temperaturas mais amenas que combinam com comidas mais aconchegantes, como os cozidos e ensopados. É o momento de aproveitar a safra do tomate para fazer um bom molho caseiro e preparar pratos com a nossa querida abóbora que agrada brasileiros de Norte a Sul.

É momento de colher: abóbora, abobrinha, acelga, alface, batata-doce, berinjela, brócolis, chuchu, mandioca, nabo, pimentão, quiabo, rabanete, tomate, vagem, repolho, abacate, banana, caqui, coco, goiaba, jaca, laranja, limão, linhaça, maçã, maracujá, melancia, pera e tangerina.

A especialista dá a dica para escolher estes alimentos da época:

— Escolha sempre ingredientes com frescor, de preferência orgânicos, que estejam em harmonia com o menu a ser executado — diz Gisela, e acrescenta: — O cozinheiro deve observar a integridade dos ingredientes, além das melhores técnicas para o preparo.

O tempo mais fresco fez aumentar a procura por caldo verde, que leva couve uma das folhas da estação, no bar Os Ximenes, na Lapa, Região Central do Rio. Sócio-proprietário do estabelecimento, Beto Ximenes, de 42 anos, conta que aproveita legumes e verduras da época para preparar os pratos e garantir economia na hora de repor o estoque:

— ​​O que vende sempre bastante são: caldo verde, mocotó, siri e canja. Nessa época do ano sempre fazemos porque a procura é grande. Quando tem promoção aproveitamos para abastecer o bar e priorizamos os alimentos da estação, que saem mais em conta — diz Ximenes, que avalia que o aprimoramento dos funcionários reflete diretamente no atendimento e, consequentemente, na clientela.

— Atender bem é sinônimo de cliente satisfeito, que volta sempre — avalia.

De fato, o atendimento no bar é um dos atrativos para moradores, trabalhadores e turistas que frequentam o bairro mais boêmio do Rio e lotam o estabelecimento todos os dias, independentemente da época do ano.

Caldo de mandioca com calabresa e bacon

Ingredientes

500 g de mandioca descascada

100g de bacon picado

1 calabresa picada

1 cebola picada

cheiro verde a gosto


Modo de preparo

Coloque a mandioca na panela de pressão, cubra-a com água, tampe e leve para cozinhar.

Deixe por 30 minutos após pegar pressão.

Desligue o fogo e aguarde até que a pressão saia sozinha.

Retire a mandioca da panela e despeje no liquidificador, junto com a água.

Bata por cerca de 2 minutos ou até que forme um creme bem homogêneo. Reserve.

Aqueça uma panela e frite o bacon e a calabresa até dourar.

Em seguida adicione a cebola e refogue ligeiramente.

Acrescente o creme de mandioca e mexa para misturar bem.

Abaixe o fogo e mexa de vez em quando até começar a ferver.

Para finalizar, salpique cheiro verde e sirva em seguida.

Polenta cremosa

Ingredientes

2 xícaras (chá) de fubá

1 colher (sopa) de óleo ou azeite

3 dentes de alho picado

2 colheres (sopa) de cebola picada

1 litro de água

1 colher (sobremesa) de sal

500ml de água (para o fubá)

Modo de preparo

Numa panela, em fogo médio, refogue o alho e a cebola no óleo até dourar.

Em seguida adicione a água, o sal e misture.

Deixe no fogo médio até levantar fervura.

Enquanto isso, coloque o fubá numa tigela, adicione 500 ml de água em temperatra ambiente aos poucos e vá mexendo com uma colher.

Misture o fubá com a água até que fique bem homogêneo.

Em seguida adicione essa mistura na água que está fervendo, ao poucos e mexendo com uma colher.

Mexa de vez em quando, tomando cuidado para não deixar queimar o fundo, por cerca de 30 minutos.

O ponto certo é quando a polenta começa a desgrudar do fundo da panela.

Desligue o fogo, transfira para uma travessa e sirva em seguida.

Caldo de quenga

½ kg de mandioca

½ kg de cenoura

½ kg de mandioquinha

1 peito de frango

3 colheres de bacon picado

3 colheres de cheiro-verde picado

2 cebolas picadas

5 dentes de alho

Sal a gosto

Pimenta a gosto

Orégano a gosto

Noz-moscada a gosto

Modo de preparo

Na panela de pressão, aqueça o óleo e doure uma cebola.

Coloque o peito de frango, pode ser em pedaços grandes mesmo.

Coloque a mandioca, a cenoura, a mandioquinha.

Acrescente os temperos (sal, pimenta, orégano, noz-moscada).

Coloque mais ou menos ½ litro de água e deixe cozinhar até amolecer os ingredientes.

Depois de cozido retire o peito de frango, desfie e reserve.

Bata no liquidificador, a mandioca, a mandioquinha e a cenoura com a própria água do cozimento.

Em uma panela, doure o alho e a outra cebola, acrescente o bacon, frite bem. Acrescente o frango desfiado e deixe fritar mais um pouco.

Junte a mistura ao caldo, quando ferver acrescente o cheiro verde.

Se preferir sirva com o torresmo ou torradas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos