Allan dos Santos, ativista bolsonarista, será indiciado no relatório da CPI da Covid

·2 min de leitura
Allan dos Santos, journalist and supporter of Brazil's President Jair Bolsonaro is seen after the Federal Police Agents leave his home during a fake news investigation, amid the coronavirus disease (COVID-19) outbreak, in Brasilia, Brazil, May 27, 2020. REUTERS/Adriano Machado
Allan dos Santos será citado no relatório final da CPI da Covid no capítulo sobre desinformação (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • Relatório final da CPI da Covid vai indiciar Allan dos Santos

  • Ativista bolsonarista divulgou informações e notícias falsas sobre a covid-19

  • Serão atribuídos dois crimes a ele: descumprimento de norma sanitária e incitação ao crime de descumprimento de norma sanitária

O relatório final da CPI da Covid no Senado, que está sendo produzido por Renan Calheiros (MDB-AL), vai indiciar o ativista bolsonarista Allan dos Santos. Responsável pelo blog Terça Livre, ele deve ser apontado como centro da divulgação de notícias falsas em relação à pandemia. A informação foi revelada pelo colunista Guilherme Amado, do Metrópoles.

Allan dos Santos teria contribuído para a divulgação do suposto tratamento precoce, por exemplo, divulgando o uso de medicamentos sem eficácia contra a covid-19.

Leia também:

Segundo Guilherme Amado, a menção ao ativista bolsonarista está no capítulo do relatório que fala sobre desinformação. Dois crimes devem ser atribuídos ao blogueiro: descumprimento de norma sanitária e incitação ao crime de descumprimento de norma sanitária.

As investigações da CPI da Covid mostram que Allan dos Santos divulgava notificas falsas sobre a covid-19 e possíveis tratamentos e, em seguida, as “informações” eram disseminadas por comunicadores e ativistas bolsonaristas.

Indiciamento de Bolsonaro

O relatório da CPI deve ser entregue por Renan Calheiros ainda no mês de outubro. Além de Allan dos Santos, quem também deve ser indiciado é o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

"Com certeza será [indiciado]. Nós não vamos falar grosso na investigação e miar no relatório. Ele com certeza será, sim, pelo o que praticou", disse o relator.

Em entrevista a jornalistas, antes de começar o depoimento do sócio-administrador da empresa VTCLog, Raimundo Nonato Brasil, o relator confirmou que a previsão é que o relatório esteja pronto em 15 de outubro.

"A partir do dia 15 estarei com o relatório pronto e vou conversar individualmente com cada membro da CPI para recolher encaminhamentos. E até lá continuaremos o debate, ouvindo juristas, caracterizando situações e escolhendo os tipos penais que nós vamos utilizar".

Em seguida, o documento será apresentado à CPI no dia 19 e, no dia 20, está prevista a votação.

Segundo Calheiros, o relatório será dividido e entregue, de acordo com a competência, à Procuradoria-Geral da República, ao Tribunal de Contas da União e aos Ministérios Públicos do DF e de estados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos