Alok sugere 'milagre' após melhoras da mulher e da filha: 'Tenho contato com o divino diariamente'

Luccas Oliveira
·2 minuto de leitura
Reprodução

O DJ e produtor Alok quase desistiu de “Alive”, especial de fim de ano ultratecnológico que realizará neste sábado, às 21h, com transmissão ao vivo pelo YouTube (/alok) e Multishow. O trabalho ficou em segundo plano depois de tudo o que o goiano passou nas últimas semanas. Infectado pela Covid-19 junto com a mulher, Romana Novais, o casal passou no começo do mês pelo parto prematuro de 32 semanas de Raika, a segunda filha que tiveram em 2020 — Ravi, o primogênito, nasceu em janeiro.

— Eu perdi total o sentido de fazer a live. Mas fui ouvir as músicas que tinha separado e me fez tão bem, cara. A música tem esse poder de cura emocional muito forte. Sinto que preciso fazer isso, mais do que nunca, oferecer essa cura para as pessoas — comenta o artista de 29 anos, eleito o quinto maior DJ do mundo em 2020 pela revista especializada britânica “DJ Mag”, e também o nono artista mais ouvido no Spotify Brasil no ano.

Romana e Raika se recuperam bem, e puderam finalmente ficar juntas na quarta-feira. Para Alok, responsável por levar a música eletrônica às massas como nunca antes no país, este é mais um milagre que testemunhou na vida:

— Tenho muita fé, eu já presenciei vários milagres na minha vida, tenho contato com o divino diariamente. Não me restam dúvidas de que existe algo maior que rege a gente. Quando vejo o que aconteceu com a Romana, por mais que a gente tenha ótimos profissionais, existe um milagre sendo operado pelo divino, porque tem uma hora que o ser humano não tem mais o que fazer, e acontece uma mágica, que é o milagre.

O DJ, aliás, cita Chico Xavier como sua maior inspiração, apesar de não seguir nenhuma religião. Ele participou da série “Entrevista na janela”, do GLOBO, de sua cobertura duplex de 370 m², em um bairro de luxo de São Paulo. LEIA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA