Alpinista russo morre em acampamento no Monte Everest, diz autoridade

Monte Everest visto da janela de um avião

Por Gopal Sharma

CATMANDU (Reuters) - O alpinista russo Pavel Kostrikin morreu no Acampamento I do Monte Everest, a primeira morte relatada de um estrangeiro no pico mais alto do mundo na atual temporada de escalada, que começou em março, disse uma autoridade do Nepal neste domingo.

Kostrikin, de 55 anos, morreu no sábado no acampamento que está localizado a cerca de 5.360 metros de altitude durante uma rotação na montanha de 8.848 metros, disse Bhishma Kumar Bhattarai, uma autoridade do Departamento de Turismo.

"O alpinista russo adoeceu no Acampamento II e morreu depois de ser levado ao Acampamento I", disse Bhattarai à Reuters sem dar mais detalhes.

O acampamento II na rota normal do cume sudeste no Everest está localizado a uma altura de cerca de 6.400 metros.

As autoridades disseram que o corpo de Kostrikin será levado para Katmandu quando o atual tempo nublado melhorar.

O Monte Everest foi escalado 10.657 vezes desde a primeira vez, em 1953, dos lados nepalês e tibetano da montanha, com muitos escalando repetidas vezes, e 311 pessoas morreram até agora, de acordo com o The Himalayan Database.

O alpinismo é a principal atividade turística no Nepal e uma importante fonte de renda e emprego. O país possui oito das 14 montanhas mais altas do mundo.

Mais de 900 alpinistas estrangeiros já receberam licenças para escalar 26 picos do Himalaia no Nepal, incluindo 316 licenças para o Monte Everest, durante a atual temporada que se encerra em maio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos