Aluguel rende mais em regiões periféricas

·3 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 21.08.2019: Cédulas de real, moeda oficial brasileira. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 21.08.2019: Cédulas de real, moeda oficial brasileira. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A plataforma de locação e venda de imóveis QuintoAndar realizou um levantamento sobre rentabilidade do aluguel em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Segundo os dados, o bairro que apresenta maior rentabilidade na capital paulista é Arthur Alvim, na zona leste da cidade, seguido por Ermelino Matarazzo e Parque Bristol, nas zonas leste e sul.

O primeiro apresenta retorno médio de 0,49% ao mês, enquanto os outros dois dão rentabilidade mensal de 0,46% e 0,45%, respectivamente.

No Rio, o bairro que mais se destaca é Engenho da Rainha, na zona norte, com retorno médio mensal de 0,54%, seguido por Inhaúma, na mesma região, com 0,49% ao mês.

A rentabilidade foi calculada levando em conta o valor de venda dos imóveis --o investimento necessário para a compra-- e o preço médio de locação em cada local. Não foi contabilizado o rendimento obtido pela valorização do imóvel.

A rentabilidade nessas regiões periféricas das duas capitais é superior à alcançada em bairros nobres das mesmas cidades. Em São Paulo, por exemplo, Pinheiros (zona oeste) traz retorno médio de 0,33%. Vila Olímpia (zona sul), de 0,34%. A região central tem rentabilidade de 0,44%.

No Rio há o mesmo cenário. O retorno em aluguel sobre o investimento necessário para adquirir o imóvel é de 0,28% ao mês em Copacabana, na zona sul, e de 0,38% e 0,39% no Centro e em Santa Teresa (também na região central), por exemplo.

Segundo José Osse, da QuintoAndar, esse comportamento era previsível porque o valor do aluguel não tem um crescimento linear de acordo com o preço do imóvel. "Não é porque um apartamento de R$ 300 mil tem aluguel de R$ 3.000 que um imóvel de R$ 150 mil terá aluguel de R$ 1.500, ele pode ser de R$ 2.000 ou um pouco mais", afirma.

Ou seja, imóveis que exigem maior investimento para a compra podem ter rentabilidade menor, porque o preço do aluguel também sobe, mas não na mesma medida.

Para Osse, o principal ponto do levantamento é mostrar que mesmo bairros mais afastados dos centros das cidades podem ser boa opção para quem quer comprar um imóvel para gerar renda.

Nos bairros paulistanos com maior rentabilidade, um terço dos imóveis são alugados em 14 dias, segundo a plataforma. Nas regiões cariocas com maior retorno, um quarto dos imóveis são locados em duas semanas.

Nas duas cidades, casas e apartamentos com um quarto apresentam a melhor rentabilidade, de 0,4% ao mês, em média. Já os imóveis de dois quartos têm retorno de 0,36%, enquanto os de três e quatro quartos, de 0,29% e 0,24% ao mês.

O valor relativamente mais alto de venda dos imóveis com mais dormitórios explica essa diferença. De acordo com Osse, porém, isso não significa que eles sejam opções ruins de investimento. "Nos últimos meses, houve uma queda na demanda por imóveis pequenos e aumento da procura por imóveis maiores. É mais uma questão de ajustar os interesses e a disponibilidade do investidor com a realidade do mercado no momento", afirma.

A plataforma lançou uma ferramenta que permite aos interessados checar a rentabilidade média mensal dos imóveis que estão à venda.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos