Aluna de 14 anos e professora seguem em estado grave após ataques a escolas em Aracruz (ES); dois feridos têm melhora

Cinco vítimas baleadas durante o atentado a duas escolas em Aracruz (ES), na última sexta-feira (25), que deixou quatro mortos, continuam internadas. Duas delas correm risco de vida. Nesta quarta-feira, a professora Degina Rodolfo de Oliveira Fernandes, de 37 anos, teve um pequeno avanço em seu estado e saiu do coma induzido, mas continua em estado grave no CTI. Uma das crianças feridas, de 11 anos, se recupera bem e já está no setor de semi-intensiva. Veja abaixo.

'Não quero nenhum tipo de impunidade': Pai de atirador de Aracruz pede desculpas a vítimas e diz que filho não demonstrou emoção após o crime

Aracruz: após ataques, atirador agiu com naturalidade e chegou a almoçar com os pais antes de ser descoberto

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde do Espírito Santo (SES), em último balanço divulgado no início da noite desta quarta-feira (25), no Hospital Estadual Dr. Jayme dos Santos Neves, no município de Serra, estão internadas duas mulheres. Uma delas, de 51 anos, apresentou melhora, tem estado estável, e pôde trocar a UTI pela enfermaria nesta quarta-feira. A outra paciente, de 37 anos, é a professora Degina Fernandes, que continua entubada na UTI, em estado geral considerado grave.

No Hospital Estadual de Urgência e Emergência São Lucas, em Vitória, uma mulher de 58 anos encontra-se em estado de saúde estável e deve passar por cirurgia em uma fratura nos próximos dias.

Kat Torres: Advogado diz que suspeita de tráfico de pessoas é 'infundada' e que religião da 'bruxa' deve ser respeitada: 'Está abalada'

Já no Hospital Estadual N.Sra. da Glória, o Infantil de Vitória, estão internadas duas crianças. Um menino de 11 anos encontra-se estável e foi liberado para fazer leves caminhadas no setor de semi-intensiva, onde se encontra agora. A adolescente Thais Pessotti da Silva, de 14, continua entubada na UTI, em grave estado geral de saúde. A família pede orações para a menina.