Aluna da USP confessa golpe e admite ter desviado quase R$ 1 milhão

Alicia Dudy Muller Veiga diz que retirou dinheiro para investir por si mesma, mas acabou perdendo valores

Golpe: Aluna da USP confessa que retirou dinheiro para investir por si mesma, mas acabou perdendo valores destinado a festa de alunos da USP. Foto: Reprodução
Golpe: Aluna da USP confessa que retirou dinheiro para investir por si mesma, mas acabou perdendo valores destinado a festa de alunos da USP. Foto: Reprodução
  • Aluna da USP confessou golpe e disse ter se apropriado indevidamente de dinheiro da festa de formatura;

  • Aluna do curso de Medicina transferiu quase R$ 1 mi para própria conta para investir, mas perdeu o montante;

  • Para tentar recuperar o saldo, ela fez apostas em lotéricas, mas usou valor ganho em benefício próprio.

A estudante de Medicina da USP, Alicia Dudy Muller Veiga, de 25 anos, confessou à polícia ter desviado R$ 927 mil arrecadados por colegas da faculdade para o pagamento de uma festa de formatura.

A jovem prestou depoimento na tarde desta quinta-feira (19) à Polícia Civil. Acompanhada de um advogado, ela confessou o crime de apropriação indébita. As informações são do portal UOL.

Alicia admitiu que tirou o dinheiro da empresa Às Formaturas para administrar o valor por conta própria, mas acabou fazendo “péssimas aplicações” e perdendo o montante.

Com isso, decidiu tentar recuperar os valores fazendo apostas em um lotérica. Ela confessou que até conseguiu recuperar parte do dinheiro, e o usou em benefício próprio, comprovando o “crime de apropriação de valores”.

Entre os usos, ela declarou ter usado as quantias para pagar aluguéis de apartamento e veículo.

Quebra de sigilo

A Delegacia Especializada em Investigações Criminais (DEIC) de São Bernardo do Campo pediu a quebra do sigilo bancário da aluna, na terça-feira (17).

A investigação obteve acesso às contas bancárias da estudante e verificou que ela fez nove transferências em favor próprio.

Entre novembro de 2021 e dezembro de 2022, Alicia Muller fez as transferências para pelo menos três contas em nome dela. Os valores variam entre R$ 2,8 mil a R$ 604 mil.

  1. novembro de 2021 – 604 mil

  2. Junho de 2022 – 144 mil

  3. Junho de 2022 – 3 mil

  4. Agosto de 2022- 60 mil

  5. Setembro de 2022 – 24 mil

  6. Outubro de 2022 – 24 mil

  7. Novembro de 2022 – 2.800

  8. Novembro de 2022 – 27 mil

  9. Dezembro de 2022 – 20 mil

Fontes ouvidas pela CNN Brasil afirmaram que dois estudantes disseram, em depoimento à Polícia Civil, que Alicia era presidente da comissão de formatura e deveria ter registrado em cartório um estatudo criado pelos demais membros que impedia saques maiores que R$

Assim, ela pode ser condenada pelos seguintes crimes:

  • Apropriação indébita;

  • Lavagem de dinheiro por suspeita de usar o dinheiro da formatura em apostas em uma lotérica;

  • Estelionato por calote na mesma lotérica no valor de R$ 193 mil.

Sem dinheiro para a festa

Por WhatsApp, Alicia pediu desculpas e informou aos colegas no início de janeiro que havia desviado R$ 927 mil arrecadados por eles, durante quatro anos, para a formatura marcada para janeiro de 2024.

Um dos estudantes fez um boletim de ocorrência que se desdobrou numa investigação do 16º DP. A diretoria da Faculdade de Medicina da USP também apura o caso.

Entenda os dois casos envolvendo a aluna da USP:

Golpe em colegas

Presidente da comissão de formatura, a jovem foi denunciada na última terça-feira, depois que a Associação de Formatura da 106ª Turma do Curso de Medicina da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) constatou que ela havia tirado os R$ 927 mil acumulados pelos colegas.

Alicia transferiu para a conta pessoal toda a quantia, que havia sido depositada para a empresa Ás Formaturas, responsável por organizar a cerimônia.

A jovem garantiu que, posteriormente, transferiu a verba para uma investidora, mas não há comprovação desta transação. A aluna afirmou, ainda, que foi vítima de um golpe desta tal empresa, que teria sumido com a quantia.

No total, 110 pessoas foram lesadas com o golpe aplicado pela estudante. Em mensagem a um grupo da comissão de formatura, a jovem pediu desculpas pelo ocorrido, se explicou e disse estar sentindo "toda dor, culpa e arrependimento que vocês podem imaginar".

Calote em lotérica

Alicia já era investigada por estelionato e lavagem de dinheiro após um calote dado em uma casa lotérica no bairro de Vila Mariana, também em São Paulo. Na ocasião, ela deu prejuízo de R$ 192,9 mil aos proprietários.

Em abril de 2022, a jovem procurou a tal casa e realizou apostas no valor de quase R$ 20 mil, todas pagas via PIX. Daí em diante, ela passou a fazer várias apostas de alto valor, com custo total de R$ 461 mil. Três meses depois, Alicia foi novamente ao local e solicitou R$ 891,5 mil em apostas. Questionada sobre o pagamento, ela afirmou que fez um agendamento.

Após insistência da funcionária, a estudante realizou transferência de R$ 891,53, na tentativa de enganá-la. Uma discussão teve início, e Alicia fugiu do local com cinco apostas de R$ 38,7 mil cada, totalizando R$ 193,8 mil.