Alunas denunciam professor de assédio sexual: “Pediu para sentar de perna aberta”

Imagem conceito: vítimas de assédio sexual relataram constrangimento com falas e atitudes do professor. (Foto: Getty Creative)
Imagem conceito: vítimas de assédio sexual relataram constrangimento com falas e atitudes do professor. (Foto: Getty Creative)

O professor de artes de uma escola estadual de Curitiba (PR) foi acusado de assediar sexualmente as alunas.

Um grupo de mães e pais das alunas estiveram no Nucria (Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes), na última quinta-feira (22), para registrar boletim de ocorrência. A delegacia que investiga o caso afirmou que o professor já está afastado de suas funções.

Uma das estudantes do primeiro ano do ensino médio, acompanhada da mãe, relatou que o professor tocava as alunas, olhava os corpos delas e fazia comentários considerados constrangedores. A mobilização das estudantes aconteceu, segundo conta uma das vítimas, depois que uma delas foi exposta em sala de aula.

“Um dia ele pediu pra uma menina sentar no meio da sala em uma cadeira, com as pernas abertas, pra imitar uma arte, pra fingir um orgasmo. Quando aconteceu esse último caso, as meninas se juntaram e fomos falar com o diretor”, disse uma das vítimas ao site Banda B.

Ela também alegou que as falas desagradáveis do professor, assim como as situações constrangedoras, ocorriam com frequência e que todos podiam perceber.

“Quando a gente queria tirar uma dúvida com ele, ele se abaixava, passava a mão na nossa coxa, no rosto, perto da boca. Um dia pedi pra ir ao banheiro. Quando voltei, os meninos da minha sala que estavam conversando com ele me chamaram e falaram: ‘Olha, ele ficou olhando pro seu corpo e ficou excitado”.

A Seed (Secretaria da Educação e do Esporte) afirmou que instaurou uma sindicância para apurar as denúncias e que o afastamento do professor já foi formalizado.

Por sua vez, a direção do colégio reuniu os para informá-los sobre a situação, as providências que estavam sendo adotadas, além de orientá-los quanto a uma eventual denúncia em âmbito criminal.