Alunos do projeto ‘Cinema leva eu’, da Baixada Fluminense, têm produções selecionadas para virarem curta-metragens

Cinco histórias produzidas por alunos da formação em Produção Audiovisual do projeto “Cinema leva eu” — voltado para a capacitação de moradores da Baixada Fluminense para o cinema nacional — foram selecionadas para virar filmes de curta-metragem. Com recortes de situações vividas por quem mora na região, os argumentos foram escolhidos pelos próprios integrantes do projeto nas aulas de pitching, em que os alunos fizeram rodadas de negócios para vender ideias.

Apesar de traços em comum, as histórias têm abordagens diversas. “FNM: A Vila de Operários”, com autoria de Maria Carolina Gomes, moradora de Xerém, resgata o passado das famílias que possuem relação com a FNM – Fábrica Nacional de Motores, inaugurada em 1942.

— Foi incrível ter a minha história selecionada. A oportunidade de estar dirigindo um filme sobre o lugar que eu cresci tem um significado enorme para mim — conta Maria Carolina.

Produtor audiovisual e fundador da Escola Brasileira de Audiovisual (Ebav), responsável pelo projeto, Sérgio Assis acredita que a potência do trabalho está no fato de que as histórias trazidas surgem de quem vivencia e conhece a Baixada.

— Essa possibilidade de acesso ao conhecimento potencializa as narrativas, pois as mesmas surgem de quem as vive no dia-a-dia, de quem entende o que é a Baixada. Não é uma câmera apontada de fora para dentro, é um olhar de dentro para dentro — diz o produtor.

Outra história selecionada pelo projeto é “Odisseia Fluminense”, de Matheus de Carvalho, que conta a história de uma mãe solo, moradora de Nova Iguaçu, que trabalha no Centro do Rio. A protagonista pega o trem lotado às 5h e chega em casa depois das 22h. sendo moradores da Baixada.

Morador do o Morro Agudo, em Nova Iguaçu, Marlon Gonçalves — conhecido como DJ Dorgo — também traz a mobilidade como centro de seu argumento, mas parte de outro olhar. Sua história aborda as movimentações artísticas dentro dos transportes do Rio.

Além das histórias de Maria, Matheus e Marlon, foram selecionadas “Ninguém via”, de Gabriel Leal, morador de Nova Iguaçu, e “Uma questão de ética”, do professor de História Marcelo dos Santos. Os curtas serão exibidos em um evento de apresentação especial na última aula, em julho.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos