Alvo de bolsonaristas após lançar candidatura, Moro é chamado de ‘comunista’ por ex-ministro Ricardo Salles

·1 min de leitura

BRASÍLIA — O ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles criticou o lançamento da pré-candidatura do também ex-ministro Sergio Moro à Presidência. De acordo com Salles, o ex-juiz aceitou fazer parte do governo Bolsonaro mesmo não tendo nada em comum com a ideologia política do presidente e afirmou que Moro é “comunista”. A declaração de Salles aconteceu durante sua participação no programa Jovem Pan Morning Show na manhã desta quarta-feira.

— A política de Moro é a política da dissimulação, da traição. O cara aceitou ministro do Bolsonaro sabendo que não tinha nada a ver com o governo, que ele é de esquerda, que ele é contra as armas, ele é a favor de drogas. Ele é comunista. O Moro é comunista, lógico que ele é comunista — disse.

A fala de Salles gerou alvoroço no programa. Os demais participantes da entrevista afirmaram que o ex-ministro estava exagerando.

— Me ajuda a te ajudar, Salles. Moro é de centro-esquerda — responderam ao apoiador de Bolsonaro.

Em resposta, Salles disse que Moro é um “tucano”.

— Vai dizer que o Moro não é esquerda? O Moro é centro-esquerda. O Moro é um tucano.

Sergio Moro foi ministro da Justiça de Bolsonaro do começo do governo até abril de 2020. Depois de romper com o presidente, o ex-juiz se afastou da política, mas teve sua volta no início de novembro, quando se filiou ao Podemos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos