Alvo de mandado de prisão, Allan dos Santos chama ministro Alexandre de Moraes de ‘psicopata’ e ‘tirano’

·4 min de leitura

O blogueiro bolsonarista Allan dos Santos chamou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes de “psicopata” e “tirano” em entrevista ao programa Pânico, da TV Jovem Pan News, nesta segunda-feira. O blogueiro, que está nos Estados Unidos, teve sua prisão preventiva determinada pelo ministro em outubro, e o pedido de extradição para o Brasil já está com o governo americano. Além disso, segundo a determinação, seu nome será encaminhado para a Interpol.

Na entrevista, Allan criticou a imprensa brasileira, afirmou que o pedido de extradição é “sem fundamentação jurídica” e alegou ser vítima de censura. Ao falar sobre a decisão de Alexandre de Moraes, o blogueiro acusou o ministro de agir arbitrariamente:

“Isso tem que sair da mão desse psicopata. O problema é que, de acordo com as próprias regras do STF, nenhum ministro pode interferir nas decisões monocráticas de outro. (...) Está tudo no colo do Alexandre de Moraes, ele está gostando disso, todo psicopata gosta de achar que tem poder. É um tirano, que está ali fazendo o que quer”, disse o blogueiro.

Um dos principais aliados do presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais, Allan dos Santos é alvo de dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF): um que apura a divulgação de fake news e ataques a integrantes da Corte e outro que investiga a atuação de uma milícia digital que age contra a democracia e as instituições.

Em outubro, o ministro Alexandre de Moraes determinou a prisão preventiva do blogueiro, solicitada pela Polícia Federal, e orientou que o Ministério da Justiça desse início ao procedimento de extradição para o Brasil, já que, desde agosto de 2020, Allan está nos Estados Unidos.

Na decisão, Moraes também determinou o bloqueio de todas as contas bancárias de Allan e de sua empresa, além de proibir remessas de dinheiro para o exterior. O ministro orientou ainda que a Casa Civil e o Ministério das Comunicações fossem notificados para que suspendessem o repasse de dinheiro público para o blogueiro.

As plataformas digitais Youtube, Twitch.TV, Twitter, Instagram e Facebook foram obrigadas a suspender o repasse a Allan de valores de monetização, de serviços usados para doações, do pagamento de publicidades, da inscrição de apoiadores e advindos de monetização gerada por lives.

Em novembro, Allan disse, em uma live, que seu blog, o Terça Livre, foi à falência devido à decisão de Alexandre de Moraes, e repetiu o discurso de que seria vítima de censura por expressar suas opiniões.

O pedido de extradição do blogueiro bolsonarista chegou aos Estados Unidos na última semana, segundo o jornal Folha de S. Paulo, e já está com o governo americano, que vai decidir qual medida tomar.

O processo, intermediado pelo Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI), órgão do Ministério da Justiça, foi encaminhado para os EUA dois dias antes de a decisão de Moraes ser divulgada, segundo reportagem da Folha.

O episódio provocou a exoneração da chefe do departamento responsável pelos trâmites entre o Brasil e os Estados Unidos, a delegada da Polícia Federal Silvia Amélia Fonseca de Oliveira.

Conforme revelou a colunista Malu Gaspar, do GLOBO, o secretário Nacional de Justiça, Vicente Santini, tentou retardar o processo de extradição do blogueiro, mas quando pediu os papéis à delegada para tentar produzir um parecer contrário, foi informado de que a ordem de Moraes já havia sido enviada aos Estados Unidos.

Nas redes, a entrevista levou o termo “Interpol” a ser um dos mais comentados no Twitter nesta segunda-feira. Os apoiadores de Allan dos Santos alegaram que o blogueiro não está sendo procurado pela Organização Internacional de Polícia Criminal.

Como justificativa, compartilharam uma reprodução do site da Interpol, que divulga os nomes dos procurados pela “lista vermelha” da organização. Na página, há o nome de um brasileiro Allan Gabrecht dos Santos, de 25 anos, incluído a pedido do Paraguai. Esse, porém, não é o mesmo Allan dos Santos que é alvo do mandado de prisão expedido por Alexandre de Moraes.

No entanto, apesar de não constar de forma pública no site da Interpol, o nome do blogueiro deverá ser encaminhado à organização, uma vez que o pedido de extradição determinado pela justiça brasileira já está com as autoridades americanas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos