Alvo do STF, PCO recebe apoios na esquerda, mas PT silencia

***ARQUIVO*** SÃO PAULO-SP, BRASIL, 16-02-2022 - O presidente nacional do PCO, Rui Costa Pimenta. (Foto: Ronny Santos/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO-SP, BRASIL, 16-02-2022 - O presidente nacional do PCO, Rui Costa Pimenta. (Foto: Ronny Santos/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Embora tenha sido incluído no inquérito das fake news do STF junto a bolsonaristas, o PCO (Partido da Causa Operária), vem recebendo diversos apoio de líderes de esquerda contra o que seria uma "censura".

Nesta segunda-feira (20), o ministro Alexandre de Moraes determinou que os canais e perfis em redes sociais ligados à legenda de esquerda radical sejam retirados do ar. O motivo são ataques feitos pelo PCO contra o Supremo e seus integrantes.

O PCO vem fazendo uma campanha para receber declarações de solidariedade. Entre os que já se manifestaram estão João Pedro Stedile, coordenador nacional do MST, o deputado federal Vicentinho (PT-SP), o presidente da CUT, Vagner Freitas, e a direção nacional do PSTU.

Algumas alas do PSOL também deram apoio ao PCO, enquanto o PT até o momento se mantém em silêncio. Artistas como Rodrigo Lima, da banda de rock Dead Fish, e o compositor Douglas Germano, também participaram, além de membros da Torcida Jovem do Flamengo.

Todos vêm defendendo a liberdade de expressão, argumento parecido ao utilizado por partidários do presidente.

"A democracia se constrói com direitos iguais para a classe trabalhadora, de ter terra, trabalho e renda, mas também com a liberdade de expressão e fundamentalmente com a liberdade de organização. Todo partido tem de ter a liberdade de expressão para defender as suas ideias", afirma Stedile, em vídeo gravado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos