Amante dos animais, Gal Costa dizia que tratava os cachorros como filhos: 'Parte da família'

Quando começou a usar o Instagram, há cerca de cinco anos, Gal Costa fazia posts diários, por meio dos Stories, com vídeos de seus cachorros em casa. O hábito se tornou um vício, como ela brincava. "Sou cachorreira. Adoro filmar meus cachorros, e eles adoram ser filmados", contou ela, numa entrevista, em 2017.

Nos cinemas: Saiba quais homenagens Chadwick Boseman recebe em 'Pantera Negra: Wakanda para sempre'

Quiz Gal Costa: Teste seus conhecimentos sobre a cantora e saiba se você é um 'gal-maníaco'

Não à toa, parte dos fãs lembrou dos animais após a notícia da morte da artista, aos 77 anos, vítima de um infarto em casa, na última quarta-feira (9). Em 2015, quando o filho Gabriel tinha 10 anos, Gal levou para casa um filhote da raça Golden Retriever, e fez a alegria da criança. "A fofura que chegou para completar a família! Muito fofo mesmo", ela escreveu no Facebook.

Em seguida, para fazer companhia ao bicho, Gal e Gabriel resolveram cuidar de mais um cachorro da mesma raça. Hoje, Hobgood e Sadi, como os pets foram batizados, têm idades por volta dos 7 anos. Os animais sempre fizeram companhia para Gal e Gabriel no apartamento em que a cantora vivia com o filho, em São Paulo. A artista venerava os bichos, e não tinha vergonha disso.

"Você quer um biscoitinho?", costumava perguntar aos cachorros, nos vídeos que publicava no Instagram. Em outros registros, aparecia recebendo "beijos" dos cães no rosto. Há pouco mais de três anos, ela resolveu fantasiar Hobgood de coelhinho, para celebrar a Páscoa. A ideia rendeu um ensaio fotográfico com o cachorro, algo que ela compartilhou com os fãs pela internet.

"O cão tem essa capacidade de despertar o amor. Eu sempre tive cachorro e trato os meus cachorros Hobgood e Sadi, como filhos. Eles têm todo o privilégio, são super bem tratados, são parte da família!", escreveu ela, certa vez, nas redes sociais, ao celebrar o Dia de São Francisco de Assis.