Amazon faz parceria com elétrica EDP para parque solar no Brasil

Amazon expande projetos de energia renovável no mundo e terá fazenda solar no Brasil

(Reuters) - A Amazon.com anunciou nesta quarta-feira uma parceria com o grupo português EDP para seu primeiro projeto de energia renovável na América do Sul, um parque de geração solar de 122 megawatts (MW) de potência no Brasil.

O projeto, cujo local não foi divulgado, está sendo desenvolvido com a EDP Brasil e a EDP Renováveis. O valor dos investimentos e cronograma para entrada em operação da usina também não foram detalhados.

Estima-se que o empreendimento crie 850 empregos durante a fase de construção. O projeto inclui ainda investimentos de 2 milhões de reais em programas ambientais, visando a promoção da biodiversidade.

"Este projeto impulsionará todos os nossos negócios no Brasil: operações, centros de atendimento e data centers da Amazon Web Services", disse em nota Daniel Mazini, presidente da Amazon Brasil.

Segundo as empresas, o contrato de energia (PPA) assinado vai viabilizar o maior parque solar da EDP Brasil no país.

A companhia elétrica mudou recentemente o foco de sua estratégia para o segmento de geração no Brasil, vendendo hidrelétricas e apostando na fonte solar. Até 2025, a EDP planeja investir mais de 3 bilhões de reais em projetos de energia solar no Brasil.

Globalmente, a Amazon anunciou nesta quarta-feira que adicionará 2,7 gigawatts em capacidade de produção de energia limpa por meio de dezenas de novos projetos.

O anúncio de 71 novos projetos no segmento renovável, totalizando agora 379, vem em meio ao objetivo da varejista de utilizar 100% de energia renovável nos negócios até 2025.

A Amazon espera gerar 50 mil gigawatts-hora (GWh) de energia limpa por meio de todo o seu portfólio, o equivalente a abastecer 4,6 milhões de residências norte-americanas por ano.

Além do complexo solar no Brasil, os novos projetos incluem, por exemplo, três usinas de grande escala no Estado indiano do Rajastão, com capacidade de 420 MW, projetos solares em telhados na França e na Áustria e seu primeiro parque solar na Polônia.

(Por Savyata Mishra; reportagem adicional de André Romani e Letícia Fucuchima)