Amazon pode ser multada em US$ 425 milhões por violação de privacidade na Europa, diz WSJ

·1 minuto de leitura

LUXEMBURGO — Um regulador de privacidade da União Europeia (UE) propôs uma multa de mais de US$ 425 milhões contra a Amazon, como parte de um processo que poderia resultar na maior penalidade de acordo com a lei de privacidade do bloco, disseram fontes ao Wall Street Journal.

A comissão de proteção de dados de Luxemburgo, a CNPD, divulgou um projeto de decisão sancionando as práticas de privacidade da Amazon e propondo a multa entre as outras 26 autoridades nacionais de proteção de dados do bloco, afirmaram as fontes.

O CNPD é o principal regulador de privacidade da Amazon na UE, porque a sede da empresa no bloco se encontra no país.

O caso de Luxemburgo está relacionado a supostas violações do Regulamento Geral de Proteção de Dados da Europa, ou GDPR, vinculado à coleta e uso de dados pessoais de indivíduos pela Amazon, e não está relacionado ao seu negócio de computação em nuvem, Amazon Web Services, informou o jornal.

A fonte ouvida pelo Wall Street Journal se recusou a dar mais detalhes sobre as alegações específicas contra a Amazon.

Um porta-voz da gigante de tecnologia não quis comentar. A empresa afirmou anteriormente que a privacidade dos seus clientes é uma prioridade e cumpre a legislação em todos os países onde opera. Um porta-voz da CNPD disse que o regulador não tem permissão para comentar casos individuais.