Amazon suspende construção de novos armazéns na Espanha até 2024

Maioria dos projetos afetados pela decisão são navios que seriam incorporados à divisão de última milha, nome pelo qual são conhecidas as instalações logísticas localizadas próximas aos grandes centros urbanos (REUTERS/Albert Gea)
Maioria dos projetos afetados pela decisão são navios que seriam incorporados à divisão de última milha, nome pelo qual são conhecidas as instalações logísticas localizadas próximas aos grandes centros urbanos (REUTERS/Albert Gea)
  • Decisão de suspender a construção seria estratégica para a Amazon;

  • Suspensão já foi comunicada a fornecedores e parceiros habituais da empresa e foi considerada "um balde d'água fria";

  • Cenário da economia espanhola é de incerteza, com a inflação subindo para 10,5%.

Informações do jornal espanhol El Confidencial apontam que a Amazon tomou a decisão estratégica de suspender a construção de novos centros logísticos na Espanha pelos próximos dois anos. A ordem dada aos funcionários da empresa no país teria sido "esperar e ver".

Segundo o jornal, a decisão já foi comunicada a fornecedores e parceiros habituais da empresa e foi considerada "um balde d'água fria". A maioria dos projetos afetados pela decisão são navios que seriam incorporados à divisão de última milha, nome pelo qual são conhecidas, no jargão do setor, as instalações logísticas localizadas próximas aos grandes centros urbanos.

"O nosso compromisso com a Espanha se mantém e continuamos no caminho para cumprir a nossa promessa de ter 25.000 colaboradores permanentes no país até 2025. Terminaremos 2022 com mais de 20.000 colaboradores permanentes, depois de criar 2.000 postos de trabalho este ano", declarou a empresa em comunicado.

O cenário da economia espanhola é de incerteza, com a inflação subindo para 10,5% e em meio a um ciclo de aumentos de taxas pelos bancos centrais para contê-la. A capacidade de consumo das famílias vem diminuindo por conta do aumento das faturas de energia e da grande maioria das hipotecas com taxa variável.

Incertezas

Uma pesquisa interna da Amazon, realizada em meados de 2021, aponta que uma crise bate à porta da gigante norte-americana do varejo online. O documento vazado, e analisado pelo Recode, do portal estadunidense Vox, mostra que a empresa pode ficar sem contratar novos funcionários nos Estados Unidos até 2024.

A companhia fez o cálculo de trabalhadores disponíveis para cada armazém tomando por base o nível de salários e distâncias entre casa e instalações, além de outros aspectos.

Entre possíveis soluções, o site aponta duas de seis ‘alavancas’ que a companhia poderia 'acionar' para atrasar uma crise trabalhista, que seriam: o aumento dos salários e a automação dos armazéns.