Amazon testa novo robô de transporte que usa inteligência artificial

Novos robôs da Amazon usarão inteligência artificial para mover pacotes (REUTERS/Nick Iwanyshyn)
Novos robôs da Amazon usarão inteligência artificial para mover pacotes (REUTERS/Nick Iwanyshyn)
  • Robô será usado para mover itens muito longos ou pesados dentro dos depósitos;

  • Empresa procura manter robôs afastados dos funcionários por segurança;

  • Cerca de 10% dos itens da Amazon se encaixam nessa categoria.

A Amazon já trabalha com meio milhão de robôs em seus depósitos, que operam realizando uma variedade de tarefas como repor estoque, preencher pedidos e classificar pacotes. Mas agora a empresa está trabalhando em novos modelos de ajudantes robóticos, criados especialmente para mover os produtos de dimensões mais diferenciadas.

Os depósitos da empresa podem ser meio caóticos de vez em quando. Com um número enorme de pedidos, os robôs são normalmente mantidos longe dos andares onde os trabalhadores da Amazon estão, de modo a garantir a segurança dos funcionários, e uma maior agilidade para as máquinas.

No entanto, há certos pacotes e produtos que são muito longos, largos ou pesados para caber nas esteiras e nos carrinhos da Amazon. Para esses produtos, que podem chegar a até 10% dos itens encomendados na Amazon, é necessário um robô que use da inteligência artificial para navegar pelo chão das instalações sem por nenhum trabalhador em risco.

“Não desenvolvemos tecnologia pela tecnologia”, disse Siddhartha Srinivasa, diretor da Amazon Robotics AI. “Queremos desenvolver tecnologia com o objetivo final de capacitar nossos associados a realizar suas atividades de forma melhor e mais segura."

Esses robôs têm a capacidade de entender a estrutura tridimensional do mundo e como essas estruturas distinguem cada objeto nele. O robô pode então entender como esse objeto vai se comportar com base em seu conhecimento da estrutura. Essa compreensão, chamada compreensão semântica ou compreensão de cena, juntamente com visão a laser e dados de câmera, permite que o robô seja capaz de mapear seu ambiente em tempo real e tomar decisões em tempo real.

“Quando o robô tira uma foto do mundo, ele obtém valores de pixel e medições de profundidade”, disse Lionel Gueguen, cientista aplicado de aprendizado de máquina de IA da Amazon Robotics. “Então, ele sabe que a essa distância há pontos no espaço – um obstáculo de algum tipo. Mas esse é o único conhecimento que o robô tem sem compreensão semântica.”

“Se o robô se aproximar de você muito rápido e pisar no freio um milímetro antes de tocar em você, isso pode ser funcionalmente seguro, mas não necessariamente um comportamento aceitável”, disse Srinivasa. “E então, há uma questão interessante sobre como você gera um comportamento que não é apenas seguro e fluente, mas também aceitável, que também é legível, o que significa que é compreensível para humanos”.