Amazonas registra aumento de 15% nos casos de Covid-19 nos últimos 7 dias

Entre os dias 28 de outubro e 3 de novembro, mais de 1.230 casos de Covid-19 foram notificados no Amazonas. Foto: MICHAEL DANTAS / AFP / Getty Images.
Entre os dias 28 de outubro e 3 de novembro, mais de 1.230 casos de Covid-19 foram notificados no Amazonas. Foto: MICHAEL DANTAS / AFP / Getty Images.

Resumo da notícia:

  • Amazonas registrou um aumento de 15% nos casos de Covid-19 nos últimos sete dias;

  • Entre os dias 28 de outubro e 3 de novembro, mais de 1.230 casos da doença foram notificados;

  • O estado registrou 1.072 casos de Covid-19 entre 20 e 27 de outubro.

Dados divulgados pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) apontam que o Amazonas registrou um crescimento de 15% nos casos de Covid-19 nos últimos sete dias.

Entre os dias 28 de outubro e 3 de novembro, mais de 1.230 casos da doença foram notificados, ou seja, 158 a mais do que na semana anterior.

Desde outubro, o estado vem tendo um aumento de episódios de síndrome respiratória, retornando à fase amarela da pandemia. O crescimento de casos ocorre em meio à chegada do inverno amazônico.

Segundo boletins diários da fundação, o estado registrou 1.072 casos de Covid-19 entre 20 e 27 de outubro.

Na primeira metade do mês passado, de 12 a 18 de outubro, o Amazonas havia confirmado somente 348 casos da doença.

Na última semana, duas mortes relacionadas à Covid-19 foram confirmadas depois da data do óbito, com exames de imagem ou clínico. Desde o começo da pandemia, 14.358 pessoas morreram em todo o estado por causa da doença.

Atualmente, em Manaus, há 64 pacientes internados, sendo que 48 estão em leitos clínicos, e 16, em UTI.

Das 48 internações, 23 tiveram a Covid-19 como causa primária, enquanto 25, secundária. Já dos 16 pacientes em UTI, 7 tiveram a doença como causa primária e 9, secundária.

Brasil registra 35 mortes de Covid-19

O Brasil registrou, no último sábado (5), 35 mortes pela doença, elevando o número total no país para 688.419.

Enquanto isso, a média móvel de mortes diárias foi de 39. O número registrado é 43% menor do que o valor de duas semanas atrás, segundo dados do consórcio formado por O Globo, Extra, g1, Folha de S. Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo que reúne informações obtidas diariamente das secretarias estaduais de Saúde.