Americanas: diretores venderam ações antes de rombo de R$ 20 bilhões ser revelado

Há indícios de que os sócios majoritários da Americanas já tinham alguma ideia do que estava acontecendo na empresa, antes que Sergio Rial revelasse “inconsistências” de R$ 20 bilhões. No segundo semestre de 2022, segundo documentos publicados pela própria Americanas em seu portal de relacionamento com investidores, diretores venderam mais de R$ 210 milhões em ações da empresa.

— A diretoria vendeu muitos papéis da própria empresa. Isso nos faz crer que era algo que sabiam e não reportaram. Além disso, na call, Rial deixou escapar que talvez não existisse uma vontade dos administradores de falar sobre o problema — observa Pedro Menin, sócio-fundador da casa de análise financeira Quantzed.

Para João Frota, estrategista em renda variável da Senso Corretora, a hipótese de que o erro contábil tenha ocorrido por uma década, como disse ontem Rial, enfraquece a tese de um possível deslize no balanço. Victor Bueno, analista da Nord Research, ressalta que o fato de a inconsistência não ser algo isolado preocupa:

— Isso já vem sendo contabilizado há vários anos. É muito cedo para falar de fraude contábil, mas como não apareceu antes, para membros da empresa ou para a auditoria?

A Moat Capital, gestora com sede em São Paulo e que tinha cerca de 2,86% do capital de Americanas (25,8 milhões de ações) em setembro do ano passado, segundo a Bloomberg, disse ao EXTRA ter sido surpreendida pelo fato relevante da companhia.

"Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para garantir e resguardar nossos direitos como acionista minoritário e em defesa dos nossos investidores", declarou em nota.

Na quinta-feira, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM, que regula o mercado de capitais brasileiro) abriu dois processos contra a Americanas para obter explicações a respeito das informações contábeis, dos fatos relevantes e dos comunicados emitidos pela empresa.

O BNDES, um dos credores da empresa, informou ter duas operações ativas com a Americanas, mas não está exposto a risco pois há fiança bancária como garantia. Ainda assim, pedirá esclarecimentos.