Amigos de alemão que entrou nu no mar de Copacabana chegam ao Brasil para reconhecer corpo encontrado

Dois amigos do comissário de bordo alemão Thomas Klak, de 28 anos, chegaram ao Brasil, no início da manhã desta quarta-feira, para reconhecer o corpo que pode ser do estrangeiro. De acordo com as investigações da Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (Deat), testemunhas relataram que ele teria entrado sem roupa próximo ao Posto 6, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, há uma semana, para nadar no fundo do mar. Ontem, profissionais do Corpo de Bombeiros localizaram um cadáver próximo ao Arquipélago das Cagarras, em frente à Praia de Ipanema, na mesma região.

Veja vídeo: Corpo encontrado na Zona Sul do Rio pode ser de alemão que entrou nu no mar de Copacabana

Em Búzios: Seguranças do rapper Orochi presos por porte ilegal de arma são alvos de investigação da PM

Ao GLOBO, Felipe Duarte, de 36 anos, contou que deixou, com Natalie Urbano, a cidade de Hamburgo, no Norte da Alemanha, para acompanhar os procedimentos de identificação no Instituto Médico-Legal Afrânio Peixoto (IMLAP), no Centro do Rio. Segundo a Patrícia da Costa Araújo de Alemany, titular da Deat, peritos estão fazendo a comparação da documentação com informações sobre a arcada dentária de Thomas com o corpo para confirmar a identificação do estrangeiro.

Há uma semana, o Corpo de Bombeiros realizava buscas na região, com o apoio de mergulhadores, embarcações, drones e helicópteros. Nas redes sociais, Andrew Kullen, outro amigo do alemão, fez um apelo aos cariocas e diz não acreditar que Thomas era o homem que entrou no mar. "Talvez ele esteja desorientado em algum hospital, praia, casa, estacionamento, porão, em qualquer lugar. Por favor, não vamos perder as esperanças", escreveu o rapaz.

Investigação: Polícia prende mulheres suspeitas de matarem guia de turismo a facadas no Centro do Rio

O alemão é companheiro de outro turista, um americano, identificado apenas como Leonard. Segundo a PM, na terça-feira, uma equipe do 23º BPM (Leblon) foi acionada pelo gerente de um hotel na Zona Sul da cidade para controlar uma confusão causada por dois turistas estrangeiros que estavam hospedados no local e estavam quebrando objetos do estabelecimento.

Depoimentos: Mulheres que mataram guia de turismo a facadas pediram ajuda a ex-marido de uma delas para fugirem

Um destes turistas seria o americano. Segundo equipe policial, o gerente do hotel não quis registrar o caso em delegacia e pediu para que os hóspedes realizassem o check-out, que foi acompanhado pelos militares e os liberaram em seguida. Na madrugada de quarta-feira, uma guarnição do 23° BPM foi acionada novamente após um estrangeiro — que seria o mesmo americano — ter se aproveitado do descuido de um morador para adentrar as dependências de um condomínio. Nessa primeira abordagem, segundo a PM, o homem aparentava estar alterado, se comportando de forma agressiva. O estrangeiro foi conduzido à Deat.

Na madrugada de quinta-feira, os policiais militares do 23° BPM (Leblon) foram acionados para uma tentativa de invasão a um prédio na Rua Joana Angélica, em Ipanema, também na Zona Sul. De acordo com a unidade, os policiais foram acionados para conter o mesmo turista, que aparentava estar desorientado se debatendo na parte interna do edifício, causando diversos transtornos aos moradores.

Crime no Centro do Rio: Acusadas do assassinato de guia de turismo tentaram incriminar a vítima para testemunhas: 'Tarado, sai de perto dela'

Segundo os policiais militares da ocorrência, o homem não aceitou acompanhá-los até a delegacia e os mesmos utilizaram armamento de menor potencial ofensivo para tentar conduzi-lo. O homem foi levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, atendido, medicado e liberado, posteriormente conduzido a Deat. O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBTQIAP+ chegou a denunciar que os estrangeiros teriam sido espancados pela polícia do Rio. O americano diz que acordou no hospital e não sabe o paradeiro de Thomas.