Amoêdo diz que aproximação de Meirelles com Lula não surpreende

***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 22.05.2019 - João Amoêdo durante entrevista. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 22.05.2019 - João Amoêdo durante entrevista. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O encontro dos oito ex-presidenciáveis com Lula, que evidenciou o apoio de Meirelles ao petista nesta segunda-feira (19), não trouxe um fato tão inesperado, na opinião de João Amoêdo, que também foi candidato à Presidência em 2018, pelo partido Novo, mas não faz parte do grupo que agora endossa a candidatura do petista.

Apesar de não ter sido imprevisível, o gesto de Meirelles aumenta o suspense sobre a condução do debate do teto de gastos em um eventual governo Lula.

"A aproximação do Meirelles não surpreende, dado que ele foi presidente do Banco Central durante o governo Lula. Por outro lado, Meirelles implementou o teto de gastos, uma medida fundamental para a responsabilidade fiscal, e Lula se coloca contra ela. Imagino que o apoio de Meirelles esteja condicionado a medidas econômicas que ele julga importantes", diz Amoêdo.

Ex-presidente do Banco Central e ex-ministro da Fazenda no governo de Michel Temer (MDB), Meirelles participou, nesta segunda-feira, de evento de campanha de Lula e Fernando Haddad (PT) em São Paulo.

Em entrevista à Folha de S.Paulo, Meirelles afirmou que Lula será a melhor opção se repetir as diretrizes econômicas dos mandatos anteriores e defendeu que o país precisa de respeito ao teto de gastos combinado às reformas administrativa e tributária. O ex-ministro chamou de genéricas as propostas de Lula e Bolsonaro para a Economia, disse que é necessária uma declaração de que o teto será respeitado, além de reformas e o fechamento de estatais para gerar recursos que viabilizem programas sociais dentro do teto.

Lula, por sua vez, já disse na campanha que não acredita em teto de gastos e, nesta segunda (19), ao lado de Meirelles voltou a criticar o mecanismo, mas sem citá-lo diretamente.

Além de Meirelles, participaram do encontro desta segunda o ex-senador Cristovam Buarque (Cidadania), o ex-governador Geraldo Alckmin (PSB), vice de Lula, a ex-ministra Marina Silva (Rede), que declarou apoio a Lula na semana passada, o líder sem-teto Guilherme Boulos (PSOL), o ex-prefeito Fernando Haddad (PT), a deputada estadual Luciana Genro (PSOL) e João Goulart Filho (PC do B).