Update privacy choices
Notícias

Agora candidato ao Planalto, Haddad cresceu 19 pontos entre eleitores petistas

ISABEL FLECK
Folhapress
Cassiano Rosário/Futura Press

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Oficializado como candidato do PT à Presidência nesta terça-feira (11), Fernando Haddad já tinha registrado nas últimas três semanas um crescimento de 19 pontos percentuais entre os eleitores que dizem ter preferência pelo PT, segundo a última pesquisa Datafolha.

Agora, entre os que preferem o PT, 30% declaram intenção de voto no ex-prefeito de São Paulo. A pesquisa foi realizada na última segunda-feira (10), em parceria com a TV Globo, com 2.804 eleitores de 197 municípios. 

No levantamento feito entre os dias 20 e 21 de agosto, Lula ainda aparecia em um dos cenários. No que o ex-presidente era substituído pelo então candidato a vice, Haddad tinha 11% das intenções entre os eleitores petistas, atrás de adversários como Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT). Agora, Haddad lidera entre os apoiadores da legenda.

O real potencial de transferência dos votos de Lula, que chegou a registrar 39% das intenções na pesquisa anterior, para Haddad é uma das grandes dúvidas desta eleição. O ex-presidente, preso em Curitiba por lavagem de dinheiro e corrupção, teve sua candidatura barrada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) no início do mês. 

Entre os petistas, 76% disseram que votariam "com certeza" em um candidato indicado pelo ex-presidente e 16% que "talvez" o fizessem. Em agosto, o primeiro índice era de 65% e o segundo, 21%.

Entre todos os eleitores, o ex-prefeito cresceu bem menos: de 4% para 9%, empatando no segundo lugar -dentro da margem de erro de dois pontos para mais ou para menos- com Ciro, Marina e Geraldo Alckmin (PSDB).

Ciro também cresceu entre os eleitores petistas, de 14% em agosto para 18% agora. A diferença, no entanto, está na margem de erro. Marina, por sua vez, despencou entre os apoiadores do PT. Ela, que liderava o grupo em cenário sem Lula em agosto, com 19%, agora tem apenas 10%.

A candidata da Rede tem uma das maiores rejeições hoje entre os petistas: 26%, tecnicamente empatada com Alckmin, com 25%. Entre o grupo, 66% disseram que nunca votariam no candidato do PSL, Jair Bolsonaro.

Os eleitores que dizem ter o PT como partido de preferência , no entanto, estão entre os menos fiéis no voto até agora. Segundo a pesquisa, 54% deles se disseram "totalmente decididos a votar" no candidato que apontaram no levantamento, enquanto 46% afirmaram que poderiam mudar de ideia até 7 de outubro.

A pesquisa foi registrada no TSE com o número BR 02376/2018. O nível de confiança é de 95%.

230 Reações

Leia também