Update privacy choices
Notícias

Alemanha diz estar debatendo possível papel militar na Síria

Por Andrea Shalal
Reuters

Primeira-ministra alemã, Angela Merkel, durante coletiva de imprensa

Primeira-ministra alemã, Angela Merkel, durante coletiva de imprensa 31/08/2018 REUTERS/Afolabi Sotunde

Por Andrea Shalal

BERLIM (Reuters) - O governo alemão disse nesta segunda-feira que está conversando com seus aliados a respeito de uma possível mobilização militar na Síria, o que provocou uma reação forte do Partido Social-Democrata (SPD) e um novo conflito na coalizão tensa da chanceler Angela Merkel.

Ações militares no exterior continuam sendo um tópico delicado e profundamente impopular na Alemanha devido ao seu passado nazista. A participação em ataques aéreos na Síria também colocaria Berlim em rota de colisão com a Rússia, a principal apoiadora do presidente sírio, Bashar al-Assad.

    O porta-voz do governo, Steffen Seibert, disse que a Alemanha debateu seu possível envolvimento militar com os Estados Unidos e aliados europeus caso as forças de Assad usem armas químicas contra o último grande bastião rebelde de Idlib, atualmente sob intenso bombardeio sírio e russo.

    "Não houve uma situação na qual tenha sido preciso tomar uma decisão", disse Seibert em uma coletiva de imprensa de praxe, acrescentando que o governo incluirá o Parlamento em qualquer decisão.

Mais cedo o jornal Bild havia noticiado que o Ministério da Defesa alemão, de liderança conservadora, está examinando as opções possíveis para se unir a forças norte-americanas, britânicas e francesas em qualquer ação militar futura se Damasco empregar armas químicas.        

    O jornal disse que o Parlamento só será notificado de uma eventual ação militar depois do fato se uma ação rápida for necessária.

Reações

Leia também