Update privacy choices
Notícias

Candidato do PT é baleado com bala de borracha pela Guarda Municipal de Curitiba

Yahoo Notícias
Reprodução

O candidato a deputado estadual Renato Almeida Freitas Júnior (PT) foi atingido por dois tiros de bala de borracha, desferidos pela Guarda Municipal de Curitiba, no Paraná. O episódio ocorreu na noite do último domingo (9) e foi denunciado pelo próprio candidato, em vídeo ao vivo em sua página no Facebook.

De acordo com Freitas Júnior, o próprio fazia panfletagem na Praça do Gaúcho quando recebeu ordem para deixar o lugar. Advogado, o candidato afirmou ter dito que tinha o direito de estar ali e, na sequência, acabou sendo vítima dos disparos.

Nas imagens postadas por meio de live no Facebook, é possível ver a mão esquerda, atingida pela bala, sangrando bastante. A transmissão de Renato foi interrompida por conta da bateria de seu celular, que terminou. Após o ocorrido, ele foi levado ao Hospital Cajuru.

A versão da Guarda Municipal, transmitida por meio de nota oficial emitida, informa que a mesma foi chamada, por volta das 19 horas (Brasília), para resolver uma questão de perturbação de sossego. Foi nesse momento que, de acordo com a nota, Renato e um grupo que estava com ele avançaram contra seus guardas municipais, que teriam apenas reagido.

Problemas no passado

Renato já foi candidato — a vereador, em 2016 — e também esteve envolvido em problemas com a Guarda Municipal de Curitiba. Naquele ano, foi preso no Largo sua Ordem, segundo o Boletim de Ocorrência, por ouvir rap em volume alto em um carro e desacatar agentes que o teriam abordado.

À época, Freitas Júnior afirmou não ter desobedecido nenhuma ordem, mas que começou a ser agredido aptos autorizar buscar no seu carro. Segundo ele, ficou detido por três horas, nas quais afirma ter sofrido diversos tipos de agressões físicas e psicológicas.

Em 2017, Renato foi novamente detido após filmar policiais que o abordaram alegando “atitude suspeita”. O candidato, também à época, afirmou ter sido chamado de “lixo” pelos agentes e que, então, decidiu questioná-los.

153 Reações

Leia também