Update privacy choices
Notícias

Ex-ministro da Cultura, Calero lamenta: 'Malas de Geddel manteriam Museu por quase 100 anos'

Yahoo Notícias
Charles Sholl/Futura Press

O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, que deixou o cargo em 2016 após um embate com Geddel Vieira Lima associou a tragédia do incêndio no Museu Nacional com as irregularidades que acabaram levando o homem forte do governo Temer à prisão.

“Com os R$ 51 milhões das malas do Geddel seria possível manter o Museu Nacional por quase 100 anos! Mas o mais absurdo é saber que a mais antiga instituição científica do País tivesse uma previsão orçamentária de míseros R$ 521 mil”, criticou.


“Qdo eu bati de frente com Geddel e Temer em defesa do patrimônio histórico, esses políticos canalhas saíram em defesa dos dois. Teve até um manifesto. Temer disse que eu havia feito ‘carnaval’. Agora, nossa memória virou cinzas, e vêm posar de bastiões da cultura nacional. Nojo!”, escreveu ainda.


Ao deixar o cargo, Calero acusou Geddel de tê-lo pressionado a produzir um parecer técnico para favorecer seus interesses pessoais.

O ex-titular da Cultura contou que foi procurado pelo menos cinco vezes, por telefone e pessoalmente, para que o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), órgão subordinado à Cultura, aprovasse o projeto imobiliário La Vue Ladeira da Barra, nos arredores de uma área tombada em Salvador.

Geddel foi preso em setembro do ano passado após descoberta das malas com R$ 51 milhões escondidas em um apartamento.

11 Reações

Leia também